O Hospital e Maternidade Mogi-Mater, em Mogi das Cruzes, comemora a chegada do Agosto Dourado, o mês de conscientização sobre a importância do aleitamento materno. Nesse ano, a temática definida pela Aliança Mundial para Ação de Aleitamento Materno é “Proteger a amamentação: uma responsabilidade de todos”. Por causa da Pandemia, as ações para o público externo serão concentradas nas redes sociais do Mogi-Mater, mas também haverá um circuito de palestras para os colaboradores do hospital e uma roda de conversas com as mães que estão internadas na unidade.

Segundo a médica cardiopediatra Sandra Henriques, até o fim de agosto a equipe multidisciplinar do Mogi-Mater dará dicas sobre amamentação tanto no Facebook (@maternidademogimater), quanto no Instagram (@mogimater). “Vamos esclarecer dúvidas e mitos que envolvem esse momento tão importante para mamãe e bebê, porque, como o próprio tema desse ano já indica, o aleitamento materno deve ser uma responsabilidade de todos nós”, destacou.

A série de vídeos é bem completa. A nutricionista Daniela Grossi fala sobre a importância da água e os alimentos a serem evitados durante a amamentação. Já a enfermeira Jaqueline Alves relata os mitos que envolvem esse processo. A importância da busca por ajuda e da rede de apoio na amamentação é assunto para a psicóloga Patrícia Camargo, assim como a complexidade da aréola mamilar e a pega correta do bebê são assuntos abordados pelas fonoaudiólogas Daniela Camerieri e Carolina Moraes. Por fim, a obstetra Marília Siqueira Pires ensina o cuidado das mamas durante o pré-natal para o aleitamento materno. “Vamos, ainda, disponibilizar uma caixa de perguntas para que as gestantes e mães possam tirar suas dúvidas pelas nossas mídias sociais”, salientou, Sandra Henriques.

Internamente, o Mogi-Mater também fará ações. Haverá um circuito de palestras que funcionará como reforço no treinamento da equipe, com a participação de todos os colaboradores do hospital. Já a roda de conversa será apenas para as mães internadas para o parto e mães de bebês internados. Essa atividade é restrita porque a unidade segue, à risca, todos os protocolos sanitários da Covid-19.

Dra. Sandra Henriques – cardiopediatra