Após uma pesquisa feita com lojistas, a direção da ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes e do Sincomércio – Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região entregou, na tarde desta sexta-feira (3/7), uma solicitação oficial ao prefeito Marcus Melo para a manutenção do funcionamento das lojas como está hoje. Ou seja, com abertura permitida para todos os dias, por um período de quatro horas.

O pedido das entidades se respalda na preferência manifestada pela maioria dos lojistas da cidade, consultados hoje sobre as duas opções liberadas na última quinta-feira pelo Governo do Estado para as cidades que se encontram na fase laranja do Plano SP, como é o caso de Mogi das Cruzes: o funcionamento todos os dias por um período de quatro horas   ou, então, a abertura por um período de seis horas, mas apenas em quatro dias da semana.

No caso de Mogi, 70% dos lojistas da região central e dos corredores comerciais dos bairros optaram pela continuidade do modelo que já vem funcionando desde 22 de junho – inicialmente, no dia 12, a Prefeitura tinha liberado seis horas, mas o Ministério Público obrigou o cumprimento do decreto estadual.

“O prefeito Marcus Melo aceitou a nossa solicitação e, enquanto permanecer a fase laranja, as lojas manterão o funcionamento atual”, ressaltou o presidente da ACMC, Marco Zatsuga. “Permanecemos na expectativa de avançar, a curto prazo, para a fase amarela, que aí sim permitirá a abertura das lojas todos os dias por seis horas, o que será muito importante para restabelecer os negócios”, acrescentou ele, ao lado do presidente do Sincomércio, Valterli Martinez.

No ofício entregue durante uma reunião com o prefeito, ACMC e Sincomércio também ressaltam o empenho dos empresários em adaptar os estabelecimentos para atender todos os protocolos de segurança e prevenção ao vírus.

Também participaram da reunião o vice-prefeito Juliano Abe, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Simei Baldani e o diretor da Pasta, Luiz Pinheiro.