A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Mogi das Cruzes apresentou, no dia 12 de agosto, as novas acomodações dos quatro cavalos utilizados na Equoterapia, no Núcleo Rural. No dia 9 de agosto foi comemorado o Dia Nacional da Equoterapia, instituído pela lei 12.067/2009.

 

A construção das baias é o resultado de dois eventos solidários realizados há um ano em prol da instituição: a LIVE (em 1º de agosto de 2020), e uma Vakinha, e que contou, portanto, com a colaboração e a benemerência de dezenas de voluntários.

 

A baia que existia era uma construção antiga e feita em madeira. O coordenador do Núcelo Rural, Paulo Henrique dos Santos Prado, explica o que foi feito no espaço: “Praticamente, tudo!. Colocamos a antiga construção no chão e refizemos tudo, desde a parte de alvenaria e telhado, até as elétricas e hidráulicas”. O espaço conta, agora, com cinco baias e cada uma tem uma área de piquete, onde os equinos passam o dia, no verão.

 

Os cavalos utilizados na Equoterapia são: o Mumuzinho, de 3 anos e meio; o Patatá, de 24 anos; o Apache, de 8 anos, e a Chayenne, de 8 anos. Eles prestam assistência a 116 assistidos da APAE de Mogi das Cruzes e 30 crianças do projeto Reabilitação através da Equoterapia, lançado em junho deste ano, e voltado para um grupo de pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). A faixa etária de todos os beneficiados varia de 3 anos a 30 anos. No momento, por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os atendimentos estão sendo feitos por meio de agendamento. Além disso, a APAE atende algumas pessoas de forma particular.

 

O serviço de Equoterapia é oferecido na instituição mogiana desde agosto de 2004, e foi pioneiro para a época. “Manter um projeto como este não é barato, pois contamos com uma assistência diferenciada e uma estrutura excelente para proporcionar mais qualidade de vida aos assistidos que precisam desta terapia, além de profissionais capacitados para trabalhar com essas crianças. E o resultado vem com a própria evolução que o praticante tem até por causa dos benefícios que ela traz, como a melhora no desenvolvimento biopsicossocial. Além de todo o desenvolvimento, prezamos pela segurança dos praticantes e todos os cuidados e assistência com os cavalos”, diz a diretora pedagógica da APAE de Mogi das Cruzes, Ana Paula Nogaroto, que também já foi coordenadora do Núcleo Rural.

 

 

Ana Paula explica, ainda, que ter as baias reformadas era um sonho antigo. “A estrutura estava bem precária, e, com o passar dos anos, deixou de ser sonho e se tornou uma necessidade. E aproveitamos para agradecer a cada um dos colaboradores e doadores, afinal, não conseguimos fazer nada sozinhos, ainda mais neste tempo de pandemia em que estamos vivendo. Graças a eles, este sonho, esta necessidade, se tornou realidade”.

 

A APAE de Mogi das Cruzes, com 52 anos de fundação e certificada com o ISO 9001, é uma instituição sem fins lucrativos, com serviços prestados aos munícipes de Mogi das Cruzes e de outras cidades da região (Guararema, Biritiba Mirim, Salesópolis e Poá). A Organização atende, atualmente, 680 pessoas com deficiência múltipla e intelectual e Transtorno do Espectro Autista (TEA), bem como suas famílias, nas áreas da Educação, Saúde e Assistência Social. O seu atual presidente é João Anatalino Rodrigues.

 

O telefone da APAE de Mogi das Cruzes para mais informações é (11) 4728-4999.