Vivendo e aprendendo a viver. Aos 69 anos, confesso, não é uma tarefa fácil. Diariamente deparamos com situações, as mais diversas possíveis, e o modo como as encaramos é que faz toda a diferença.  Há momentos difíceis, ninguém está livre deles, de todas as espécies, e  os administramos quando vivemos com mais consciência, sabendo realmente o que estamos fazendo, optando por boas escolhas, sempre positivas, atentos a lei da causa e efeito, vendo os problemas como lição, não como fardos, enfim, aprendendo a viver melhor. Ser feliz é o objetivo. E, infelizmente, são poucos os que podem se dar ao luxo de viver bem, material e emocionalmente, num mundo do “ self-service”, no qual precisamos verificar nossos conteúdos, se quisermos nos proteger das negatividades presentes em todos os cantos, sendo mais seletivo, naturalmente, sem estresse, respeitando as diferenças e as preferências dos outros.

Quando cremos que temos um papel importante a desempenhar, não estamos aqui neste planeta por mero acaso,  pelo simples fato de estarmos vivos, começamos, efetivamente, a descobrir os nossos dons especiais e assim encontramos a alegria de viver, com a possibilidade de sermos quem realmente somos, como gosto de dizer, livres, leves e soltos. Afinal das contas, o tempo passa, muito rápido, e desfrutá-lo com desapego gera energia positiva, a sensação indescritível de bem estar.

Determinando metas, nos damos oportunidades para desenvolver todo o nosso potencial. Na nossa mente, temos a visão de um ideal, e quanto mais o elaboramos e trabalhamos em sua direção, mais ele se aproxima da realidade. E isso vai além dos aspectos materiais da vida, engloba também emoções, família e relacionamentos.

E finalizo a reflexão desta quarta-feira, com a história do trenzinho vermelho, subindo a ladeira e dizendo “ Eu sei que posso, eu sei que posso”. Como resultado ele consegue algo que parecia impossível. Ele tinha uma meta e uma visão de si mesmo conseguindo chegar lá, e conseguiu o que imprimiu em sua mente. O escritor norte americano, Napoelon Hill, disse, “ O que a mente de um homem pode conhecer e acreditar, ela pode obter”.