Ontem, conversando com a gerente de um conhecido endereço gastronômico de Mogi, confesso, fiquei horrorizado com o que ouvi. Não há mão de obra. O desemprego é grande e se imagina que as pessoas estão precisando trabalhar. Que nada, até há gente procurando emprego, mas totalmente fora da realidade, fazendo exigências absurdas, como por exemplo não trabalhar aos finais de semanas. Desqualificados profissionalmente e sem o mínimo interesse em se envolver com o trabalho. Trabalham um, dois dias e, simplesmente somem. O maior problema mesmo é a falta de preparo e o não querer aprender. A coisa tá feia.