Não acredito…rs… eu, noite de sábado, em casa. Há 10 anos eu jamais ficaria, se não tinha programa, inventava um…bons tempos. A maturidade, sem dúvida, traz um outro olhar sobre a vida. Muita coisa se transforma em déjà-vu…rs… como costumo dizer aos amigos, não queimei etapas, fiz tudo o que se podia fazer, e até extrapolei, conto algumas dessas histórias em meu novo livro, e agora, repito, opto por qualidade e não por quantidade e mais sossego, me tornando naturalmente seletivo, E isso se reflete em meu trabalho, nos registros que diariamente seleciono para compartilhar com legendas especiais que agregam positividade e joie de vivre. E para fazer isso preciso de um tempo, de algumas horas, mas como adoro o que faço, nem percebo o tempo passar. Temos um sábado quente, e olha que por morar no campo, aqui é um pouco mais fresco que na cidade. O Carnaval está chegando e decido que não vou viajar, permaneço em casa, descontraído, trabalhando um pouco, para variar…rs… Só vou ao Baile Abre-Alas. na próxima sexta, no salão do Clube de Campo e a matinê da inclusão, dia 12, no salão do CCMC, organizada por Rose Odashima e Fábio Freitas, sempre a frente de movimentos que respeitam o ser humano que por um motivo ou outro está deficiente e resgatam a sua auto estima. Compartilhando amor, a essência que restaura energeticamente.