A minha quarta-feira rolou recheada de positividade. Confesso, só tenho olhos para a realização da Feijoada do Willy 2018, e os dias são preenchidos com pequenas intervenções no sentido de criar um gostoso clima de expectativa. Adoro o jogo da sedução.  E como colunista social me considero um bom sedutor.  Atraio sempre um grande número de convidados para os meus eventos, que tem a chancela, sempre, da qualidade. A Feijoada do Willy 2018 revelará que esse jogo de sedução continua e firme. Ao longo de quase 43 anos observando e registrando momentos relevantes de uma sociedade me lapido neste quesito, atraindo a atenção dos que se encontram na mesma vibe, evoluindo, relevando, desapegando, procurando melhorar como ser humano, trabalhando, sonhando, e desfrutando bons momentos com as pessoas que o universo se encarrega de colocar em meu caminho. Acordo nesta quinta, bem, tranquilo, contando os dias que faltam para a Feijoada do Willy 2018, agora, dois, hoje e amanhã, sexta, e resolvi passear os olhos pelo arquivo e encontrei esta foto, da Feijoada do Willy, em 2000, realizada no Casarão dos Reis, que já pertencia à Damebe. Em companhia de Débora e Carlos Lapique. Recordar é viver. Sou grato a Deus pelas oportunidades que me dá, que aproveito, e  me permitem evoluir como profissional e ser humano. E como tem que ser espero que o meu jogo de sedução . convença alguém, que está em dúvida, a participar da Feijoada do Willy 2018. As camisetas se esgotam. Reserve a sua e garanto que irá desfrutar uma tarde memorável. A Feijoada do Willy é uma boa terapia social. The best.