A Prefeitura de Mogi das Cruzes inicia nesta segunda-feira (07/02) um estudo sobre a mobilidade urbana na região leste da cidade, que abrange o distrito de Cezar de Souza. O trabalho faz parte dos levantamentos para a revisão dos projetos voltados ao trânsito do Programa Viva Mogi e utilizará câmeras e drones para o levantamento de dados.

Os equipamentos farão o levantamento de informações sobre a quantidade de veículos que transitam nas vias durante todo o dia, as características dos problemas e o interesse de circulação dos motoristas. Também será possível verificar o impacto do trânsito na circulação do transporte coletivo.

“Este trabalho será feito com a utilização de recursos modernos, que permitirão um retrato fiel do cenário da mobilidade urbana na região leste da cidade e o levantamento de informações para a atualização dos projetos viários do programa Viva Mogi”, explicou a secretária municipal de Mobilidade Urbana, Cristiane Ayres.

Ela lembrou que a população pode ficar tranquila quanto à presença dos aparelhos. “As câmeras e os drones que os motoristas começarão a notar na região de Cezar de Souza serão utilizados apenas para o levantamento de dados estatísticos sobre mobilidade urbana, não possuem caráter de fiscalização”, reforçou a secretária.

O Programa Viva Mogi é uma marca da administração municipal que agrega valores permanentes, como a qualidade de vida da população e a reconexão dos cidadãos com Mogi das Cruzes. Esses conceitos serão levados para todas as obras estruturantes da cidade, em todos os distritos e bairros, transformando-se em uma marca permanente da administração.

Em Cezar de Souza, as intervenções do Viva Mogi terão investimento de R$ 350 milhões, captados junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), com três eixos de atuação. O de mobilidade e desenvolvimento urbano inclui a construção da avenida Parque (Corredor Ambiental Ecológico Sustentável – CAES), sistema de vias e intervenção urbanística em Cezar de Souza. Outra ação será a implantação de 30 quilômetros de ciclovias interligando os parques e o Corredor Ambiental Ecológico Sustentável, bem como a construção de uma passarela sobre o rio Tietê. No total, serão 6,2 km de CAES, 3 novas transposições e ciclovias.

Outro eixo será o socioambiental, que prevê a construção de dois novos parques (Airton Nogueira e outro parque, na avenida Francisco Rodrigues Filho), além da ampliação do Parque Centenário e da recuperação das áreas verdes próximas ao rio Tietê.

O terceiro eixo será o de saneamento básico, que prevê a ampliação da capacidade da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Cezar de Souza, que passará de 142 para 460 litros por segundo. Também serão implantadas redes de abastecimento de água e de coleta de esgoto em Cezar de Souza, além do saneamento ambiental do Córrego Lavapés e Córrego dos Corvos.

Parque Airton Nogueira

O Parque Airton Nogueira, localizado na avenida Antonio de Almeida, já está em construção – atualmente, a empresa contratada realiza levantamentos no terreno. O parque terá investimento de R$ 10.826.671,34 e será construído numa área de 139.478,04 m². Contará com campo de futebol, quadras de areia, quadra poliesportiva, quadra de tênis, mini-quadra de basquete, parcão (espaço destinado a pets), pergolados, Academia da Terceira Idade (ATI), playground, praça de convivência, parkour, paisagismo, drenagem, reservatório de água, pista de caminhada e ciclovia.

1