Darwin Valente e Willy Damasceno

 

MARIA SALAS BARREIRA

 

Neste Dia do Jornalista (7), o Caderno W, por meio do seu grande idealizador, Willy Damasceno, presta uma homenagem a todos os profissionais da Imprensa de Mogi das Cruzes e Região do Alto Tietê.

 

Os ‘parabéns’ seguem para todos os jornalistas, profissionais que estudaram, se formaram, obtiveram MTB (registro profissional), se especializaram e lutam diariamente e arduamente para fazer a diferença, informando com responsabilidade e credibilidade.

Chico Ornellas
Chico Ornellas
Carla Fiamini
Carla Fiamini
Marilei Schiavi e Gil Fuentes
Marilei Schiavi e Gil Fuentes
Maria Salas Barreira
Maria Salas Barreira

 

Sim, o mercado está bem competitivo, ainda mais depois do advento da Internet, mundo infinito, onde todos opinam o que querem e são “jornalistas”!! O surgimento da Internet e a possibilidade de podermos transmitir dados por via digital foram as novidades que começaram a mudar o mundo da comunicação na década de 1990, revolucionando o jornalismo e multiplicando os agentes de comunicação produtores e emissores de informação. Mas há mercado para todos que se propõem a fazer um serviço sério e de credibilidade, a serviço da população.

Parabéns a todos os colegas da Imprensa!!! 

Marta Vicentin, Simone Leone e Miliane Moraes
Marta Vicentin, Simone Leone e Miliane Moraes
Evaldo Novelini
Evaldo Novelini
Eliane José
Eliane José
Lana Camargo
Lana Camargo

Por que o Dia do Jornalista é comemorado em 7 de abril?

(Fonte: Portal IMPRENSA)

Você sabe o motivo pelo qual o Dia do Jornalista é comemorado hoje? Foi nessa data que o imperador Dom Pedro I abdicou do trono brasileiro, em 1831. Mas o que a renúncia de um líder de um país tem a ver com nossa profissão?

 

É porque 100 anos depois do primeiro imperador brasileiro deixar seu cargo, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) prestou uma homenagem ao jornalista e médico Giovanni Battista Líbero Badaró, um dos principais oposicionistas de Dom Pedro.

Edgar Leite Elegancia
Edgar Leite Elegancia
Giovanna Balogh Redondo Padgurschi
Giovanna Balogh Redondo Padgurschi
Cristina Gomes
Cristina Gomes
Vera Marcolino
Vera Marcolino

Badaró foi morto a tiros por inimigos políticos no dia 22 de novembro de 1830. O crime ocorreu na rua de sua casa, a antiga Nova São Jose (foto abaixo), onde hoje fica a rua Líbero Badaró, na região central da cidade de São Paulo. O jornalista era proprietário do “Observador Constitucional”, veículo que defendia ideias liberais e se opunha ao reinado de Pedro I.

Instantes antes de sua morte, o jornalista disse: “morre um liberal, mas não morre a liberdade”. O assassinato aumentou ainda mais a crise que começava a se instaurar no império de Dom Pedro I. A revolta de populares e políticos contrários à repressão do monarca tornaram sua permanência no poder cada vez mais perigosa, uma vez que atos violentos estavam acontecendo frequentemente. Esse foi um dos fatores que levaram à renúncia de Dom Pedro em 7 de abril.
Marta Vicentin, Thienne Marcondes, Miliane Moraes, Carla Fiamini, Maria Salas Barreira, Lana Camargo e Simone Leone
44