Vivendo e aprendendo a viver. E nesse inicio de 2021, com mais consciência, provado e aprovado…rs…por essa pandemia que continua, agora, um pouco amenizada com a chegada das vacinas, que, como era esperado gera conflitos políticos…rs…mas, que a despeito de todo e qualquer obstáculo, de egos, está chegando ao pessoal da saúde, no Brasil inteiro, e como o nosso país tem a dimensão continental, vamos ser realistas, vai demorar alguns  meses para se obter bons resultados. É só o inicio da recuperação. Paciência não pode faltar.

Temos mais é que continuar usando máscara, álcool gel, e evitando aglomeração. Trabalhando, eu com o privilégio do home office, jornalismo afinado à tecnologia, compartilhando informação diferenciada que repercute no Caderno W, o portal e o impresso, e nas Redes Sociais, Instagram e Facebook. A tão sonhada interação de mídias ocorre pautada pelo êxito, formando corrente de positividade que agrega bem estar social. Venho sendo lapidado ao longo de 45 anos de comunicação, iniciando no impresso, em 1975, passando pelo rádio, televisão e desde 2000, devidamente afinado à mídia digital tirando dela o melhor proveito, fidelizando leitores.

Evoluir é preciso, tem sido o meu lema de uns anos para cá. E me reinventando sempre, as lives chegaram para ficar, só estou mais seletivo…rs… a marca Willy se consolida no mercado como formador de opinião. Esse é o meu melhor prêmio.

E na vibe nostálgica, ilustro o texto com esta foto, da festa dos 44 anos de colunismo social, realizada em dezembro de 2019, com os amigos de long time, Carlinhos, Pedro, Isabel e Rosângela, resgatando  bons momentos, dos quais, aliás, sinto falta.

57