A mogiana, Gigi Monteiro, que conheço há muitos e muitos anos, aliás, registrei alguns de seus melhores momentos, tem se revelado uma artista talentosa na fotografia. E ganha o merecido holofote no Caderno W.  A sua sensibilidade tem captado imagens que saltam aos olhos. Recentemente esteve em Bologna recebendo um premio internacional pela bela foto que fez de um por de sol no Pantanal. O Caderno registrou essa sua merecida conquista. Sei que está com trabalhos em um dos ambientes na Casa Cor 2018, enfim, cada vez motivada e reconhecida. Gigi sempre foi bonita e com o passar dos anos, ficou ainda mais, revelando-se uma mulher bem cuidada, sofisticada, com joie de vivre. Conheceu o advogado Carlos Lima, teve um filho, Pedro, e o seu casamento foi um dos mais belos em que já estive, realizado na capela da Quinta da Baroneza, em Bragança Paulista, seguido de uma festa cinematográfica em sua casa no elegante condomínio. A convidei para a Feijoada do Willy 2018 e confirmou presença com seus pais, Cida e Cido, e o amigo,  Claudio Cupertino, artista plástico mineiro, que também foi premiado em Bologna. Gigi esteve na primeira Feijoada do Willy, realizada em 1996, no Clube Vila Santista e com a maior satisfação a recebo no próximo sábado no restaurante Mirante do Paraíba, na 22ª edição. Aproveito o ensejo e crio uma Galeria com fotos de momentos relevantes em sua vida ao lado do marido Carlos. Belas fotos, entre as quais compartilho algumas de seu casamento, de suas viagens com o seu love, há 13 anos. E, como não poderia deixar de ser, também, uma minha com ela na memorável festa de seu casamento, em março de 2014. É a homenagem do Caderno W a uma amiga querida, que brilha, e não passa despercebida.