Quando se gosta do que faz a joie de vivre se renova naturalmente, em cada época de uma maneira, e na era digital, a qual estou afinado desde 1999, quando criei  uma homepage do meu programa na Rádio Diário, que rolou de 1992 a 2000, e lancei o site willyvirtual na Feijoada do Willy, que em 2007 se transformou em Caderno W. Os anos de janela me permitem observar mais detalhadamente o comportamento das pessoas e discernir o que vale  a pena cultivar e ser compartilhado. Os anos passam e constato que para  me manter no podium como formador de opinião preciso estar sempre  me renovando.  Dia desses encontrei a Victoria Eroles no desfile que José Vitor Zerbinato realizou no MIS, em São Paulo, estava bem acompanhada da rainha do estilo, Joana Fonçatti, conversamos, lembrei que havia registrado a festa do seu primeiro aniversário, é filha dos queridos Marta e Pedro Eroles, a foto está no livro W Crônica de um Tempo, e gostei tanto dela que fiz uma matéria no CW revelando-a bonita, descolada, elegante, casual, e sempre irradiando uma Luz toda própria. Esbanja estilo.   Combinamos um café nesta quarta no La Verrie,  e lhe fiz o convite para colaborar com o Caderno W, falando de todos os assuntos, inicialmente com um blog, e observo, que não a estou convidando só porque é linda, não, ela estuda comunicação e me dou a luxo de descobri-la como comunicadora, dando lhe uma oportunidade, de olho no público jovem que aprecia uma informação descolada. De tempos em tempos  o Caderno W, como pode-se perceber, se renova e confere um brilho extra à vida em sociedade. Fiz questão de registrar o nosso encontro. E um detalhe que não pode passar despercebido, ela tem só 22 anos. A foto vale por mil palavras. Adorei a sua companhia, a sua vivacidade, a sua educação. Salve, Victória