Bom dia. Um bom domingo a todos. Criei tanta expectativa em torno da realização da Feijoada do Willy 2017, que, aliás, se cumpriram todas, porque o meu “santo”, constatei, é muito forte, e o sol brilhou em grande estilo na tarde deste sábado (06/05), no restaurante Mirante do Paraíba, na Freguesia da Escada, em Guararema. Deixei o Mirante, acho que passava das 17 horas, eram quase 18, em estado de graça. Sim, comprovei que continuo com o prestígio em alta como colunista social, reunindo 400 convidados em um espaço bonito, na beira do Rio Paraíba do Sul, do querido amigo, mais que amigo, irmão de alma, Valdir Stilhano, que foi irrepreensível em todos os sentidos. A caipirinha com limão socado em pilão com cachaça da melhor qualidade foi a atração, torresmo e mandioca de dar água na boca, a feijoada então estava divina e foi servida até um pouco antes da festa terminar. E o Valdir, que não é fraco, é um profissional de categoria, preparou uma sobremesa, doce de leite com queijo que só ganhou elogios. A cerveja gelada, Itaipava, refrescou o gogó dos convidados, e fiz questão de ir à mesa do amigo Ricardo Albergaria para lhe agradecer a parceria Willy & Itaipava há mais de 15 anos. E o amigo é tão generoso, que sempre trago para casa cerveja para uma boa temporada…rs… Eu não bebo, mas os meus amigos bebem…rs… A propósito, confesso, sai da linha…rs…tomei uma caipirinha e duas latas de cerveja, de tão tranquilo que estava, observando a festa iniciar, decolar, ficar efervescente, com os amigos se confraternizando. Confesso, em janeiro passado quando procurei o Paulo Seccomandi para criar a arte, já havia decidido que realizaria a Feijoada da maioridade, a 21ª, no Mirante do Paraíba, procurei o Messias Venturine para me auxiliar na produção do evento, que estava imaginando, e quando as camisetas ficaram prontas contei com a colaboração de Cidinha Menichelli para que chegassem às mãos daqueles que comigo estiveram. Como gosto de dizer, tudo rolou sobre carretéis. A festa evoluiu em grande estilo e embalada pelo maior bom astral. Como não poderia deixar de ser, pensei na música e Guilherme Dela Plata foi brilhante com um grupo de samba abrindo a festa. Subi ao palco, agradeci a presença de todos, e em seguida apresentou-se Demétrio e sua banda, espetacular, um presente que ganhei do amigo Ademir, da S. Stein. Quem lá esteve pode dizer o quanto a Feijoada do Willy 2017 rolou impecável. Indiscutivelmente, foi a melhor das que realizei até agora, com o diferencial de eu ter cuidado com carinho de cada detalhe, que envolveu a produção do evento, que, já adianto, merecerá um repeteco em 2018 naquele belo espaço em meio à natureza. O que é bom pode  ser aprimorado e ficar melhor ainda. Na saída, disse ao Valdir que diante do sucesso que foi a Feijoada do Willy 2017 no Mirante do Paraíba, no próximo ano vamos realizá-la para 600 convidados. Espaço há de sobra para isso. E ele já me deu o aval para ir amadurecendo a ideia. Acordo neste domingo, confesso, energizado pelo carinho dos amigos e dos amigos que estiveram comigo na tarde de ontem. E, como tem de ser, o Caderno W registrará em doses homeopáticas os melhores momentos do happening, que renovou o fôlego de um evento que atingiu a maioridade plena em grande estilo. Durante muitos dias pretendo destacá-los, aqui no digital, no impresso e no Oi. Assim, quem não foi pode ter uma ideia de como rolou a Feijoada do Willy 2017. E inicio com uma Galeria dos registros que Daniel Silvério fez, informalmente, circulando pela festa.