Alinhavo com o maior carinho a 23ª edição da Feijoada do Willy. Lembro, como se fosse hoje, inspirado na Feijoada do Amaral, no Rio de Janeiro, realizada no carnaval, quando resolvi promover a Feijoada do Willy, no Vila Santista, em 1996,  para comemorar o aniversário de meu programa na Rádio Diário, Bastidores. E até 2000 ocorreu nesse clima. Após a minha saída do Diário de Mogi, em 2001, a Feijoada foi batizada com o meu nome e desde então é realizada com sucesso. Ocorreu em inúmeros lugares, e em 2017 optei pelo restaurante Mirante do Paraíba, do amigo e parceiro, Valdir Stilhano e com o apoio logístico de Messias Venturine. A edição deste ano promete ser the best. Quem for, verá.  A camiseta,  o passaporte de entrada no evento fica pronta na próxima semana e aí então Manira Andery, Rose Odashima e Cidinha Mennichelli entram em cena fazendo-a chegar aos amigos e aos amigos dos amigos que curtem um programa descontraído em um lugar bonito, com boa bebida, boa comida, boa música.  O clima sempre é de festa. Esta foto, da Feijoada do Willy 2017, by Marcos Vieira, com o Lailson Santos emoldurado por Celú Campolino e Monica Padovani, que, aliás, as fotografou para exposição “Bem me Quero”, revela a boa energia do happening.

Celú Campolino, Lailson Santos e Mônica Padovani no clima alegre e descontraído da Feijoada do Willy 2017, no Mirante do Paraíba,