E, finalmente, chegou o dia de elegermos o novo presidente do Brasil. Acordo neste memorável dia 28 de outubro com a consciência em paz, fiz o bom combate, como cidadão, como um sujeito que  observa a vida em sociedade há 43 anos, e, como jornalista, podendo me dar ao luxo de opinar a respeito sobre o melhor candidato para o Brasil neste momento tão difícil para todos, fruto maldito dos desmandos do governo do PT que destruiu economicamente e moralmente o nosso País. Sem sombra de dúvida,  Jair Sergio Bolsonaro. E voto em João Doria para governador.  Tenho a mais absoluta certeza que as urnas revelarão hoje a noite quem o Brasil e São Paulo quer no comando nos próximos 4 anos. O mais importante é mudar.  E nesse clima de patriotismo, desfraldo a nossa bandeira, verde e amarela. O domingo amanhece nublado e pelo jeito deve continuar assim, chuvoso. Voto pela manhã no Washington Luiz, depois sigo para o Varejão da Cobal, para me abastecer de bons produtos, verduras, legumes, frutas, já que almoço em casa 3 vezes por semana. Eu diria mais, é terapêutico, porque acabo sempre encontrando amigos e com eles me confraternizando. Programei almoçar no restaurante Pé de Jaca para rever os amigos Angela e Joaquim Custódio, e será passagem relâmpago…rs…, o que lá é quase impossível…rs…sempre me recebem com carinho, somos amigos na verdadeira acepção da palavra, porque estou finalizando a próxima edição impressa do Caderno W, a de outubro.  Como costumo dizer, não tenho varinha de condão, tenho mesmo é que sentar em frente ao laptop e dar asas à boa imaginação. Trabalhar. Alinhavar emoções. Com inspiração e transpiração…rs…nem todo dia se está brilhante mentalmente…rs…  E é o que tenho feito com a maior satisfação. É um aprendizado.  Construindo um trabalho diferenciado, com personalidade. O melhor de tudo, aprendo, confesso, a duras penas, porque sempre fui meio desorganizado, em todos sentidos…rs… a ficar mais disciplinado, os dois últimos anos tem sido um doutorado…rs.. e  colho bons frutos com esse comportamento que se burila naturalmente, para melhor, com o passar dos anos. Traz-me a consciência de que fico mais seletivo, e é natural que isso ocorra. E nesse clima de paz, comigo mesmo e com o mundo, desejo aos webleitores um domingo  temperado por boas emoções. Com certeza, logo mais a noite a teremos. Se Deus quiser, e Ele quer.