Luísa3A mogiana Luisa Pires Callao, de 21 anos, estuda Ciências Políticas e Relações Internacionais, em Fort Wayne, no Estado de Indiana, nos Estados Unidos. Ela é filha de Denise e Claudio Callao. Confira a entrevista de Luisa, que serve de inspiração para muitos jovens. 
Caderno W: Luisa, você é mogiana, mas atualmente estuda e mora nos Estados Unidos. Fale sobre isso: 
Luisa Pires Callao: Eu nasci em Mogi das Cruzes, mas aos 14 anos o meu pai começou a trabalhar na Venezuela, onde moramos por dois anos. Lá tive a oportunidade de estudar em uma escola americana e amei o sistema.
Caderno W: Como foi a sua experiência na Venezuela?
Luisa Pires Callao: Eu estudava praticamente o dia inteiro. Como a escola seguia o sistema americano, eu passava o dia lá e só voltava pra casa no fim da tarde. Era pesado, mas eu adorava. Aprendi a falar espanhol e conheci pessoas do mundo inteiro, muitas das quais tenho contato até hoje.
Caderno W: E a decisão de estudar nos EUA?
Luisa Pires Callao: Quando voltamos para o Brasil, eu decidi que gostaria de fazer um intercâmbio nos Estados Unidos. Com a ajuda dos meus pais, consegui, e depois de acabar o programa, resolvi ficar no país para fazer a faculdade. Já estou aqui há cinco anos.
Caderno W: Em Mogi, onde estudou?
Luisa Pires Callao: Eu estudei a vida inteira no Colégio Tomás Agostinho, que por sinal me preparou muito bem para que eu pudesse alcançar o que tenho hoje.
Caderno W: Atualmente, onde você estuda e que curso?
Luisa Pires Callao: Eu faço o curso de Ciências Políticas e Relações Internacionais, em Fort Wayne, no Estado de Indiana, nos Estados Unidos.
Caderno W: Por qual motivo decidiu seguir essa carreira?
Luisa Pires Callao: No curso de Ciências Políticas, eu foco mais na parte internacional, principalmente em conflitos entre países e guerras étnicas. Eu acabei de ser aceita em dois cursos de pós-graduação nas faculdades American University e Georgetown University, na capital de Washington D.C., onde vou estudar Paz Internacional e Resolução de Conflitos.
Caderno W: Como foi seguir por esse caminho?
Luisa Pires Callao: Eu sempre me interessei muito por esse assunto e meus professores na faculdade me guiaram muito e me ajudaram a descobrir esses cursos que lidam exatamente com o que eu quero trabalhar. Espero conseguir um emprego em uma ONG depois de fazer a pós, e trabalhar na prática com o processo de paz e principalmente assistência às pessoas que se encontram refugiadas pela guerra.
Luísa
Com os pais, Denise e Claudio

 

Caderno W: Pensar em voltar ao Brasil, para Mogi?

Luisa Pires Callao: No momento, eu não tenho planos de voltar ao Brasil definitivamente. Por estudar Ciências Políticas, me entristece muito a atual situação política do País, e, infelizmente, a vontade que tinha de voltar ao Brasil diminui a cada dia. Mas, com certeza, vou visitar em breve, afinal tenho parte da minha família aí [no Brasil] e a saudade é grande. Mas também tenho esperanças de que o País vai sair dessa crise mais democrático e experiente do que nunca.

Caderno W: Quando vai ser a sua formatura e o que planeja para depois?
Luisa Pires Callao: Em maio deste ano,  eu me formo e estou super animada para receber a minha família na cidade onde moro. Vou ser a oradora da minha formatura e ter eles lá me assistindo vai fazer a data ainda mais especial. Depois da formatura, vou passar um tempo com os meus pais e logo me preparo para a mudança para Washington D.C.
Caderno W: Você, brasileira, vai ser a oradora da sua turma em uma unidade de ensino americana. O que isso representa para você? 
Luisa Pires Callao: Acho que ser escolhida como a oradora da turma é uma grande honra. Mas, principalmente, acho um jeito muito especial de me despedir de um lugar que me acolheu com muito amor durante esses quatro anos. Os meus professores me tratam como uma filha, fiz amizades que vou levar pra vida inteira como irmãos, e não vejo jeito melhor de dar tchau do que na minha formatura.
Caderno W: E depois, Luisa?
Luisa Pires Callao: Atualmente, eu trabalho na biblioteca da faculdade e como assistente de um professor também, mas como vou me mudar e vou ter de largar. Mas espero achar um emprego na faculdade em Washington D.C. também.
Caderno W: Qual foi a sua melhor viagem? 
Luisa Pires Callao: Graças às oportunidades da minha faculdade, tive a chance de viajar durante as férias duas por vezes. A primeira vez fui para a Coreia do Sul, onde passei um mês estudando a cultura e ajudando alunos coreanos a se prepararem para um intercâmbio nos EUA. No verão passado, fui passar um mês na Alemanha, onde estudei o Oriente Médio e o processo de resolução dos conflitos na área. Viajar é uma das coisas que mais amo, e esses dois passeios foram inesquecíveis.
Caderno W: Você consegue imaginar como seria a sua vida, se tivesse ficado em Mogi?
Luisa Pires Callao: Eu acho que se tivesse ficado em Mogi, talvez eu não teria tido tantas oportunidades como tenho aqui, mas, com certeza, estaria celebrando vitórias do mesmo jeito. Sou a pessoa que sou hoje em grande parte por causa do apoio da minha família, principalmente dos meus pais. Se a gente tivesse ficado em Mogi, eles teriam continuado a me apoiar e me ajudado a conquistar qualquer objetivo que eu tivesse.