Alberto2Alberto Magni, de 45 anos, é empresário e casado com Alessandra com quem tem dois filhos, Albertinho e Maria Vitória. O sonho de ser baterista e ter uma banda de sucesso, quando adolescente, o motivou a investir na promoção de shows. Por meio da A.R. Produções, criada há 15 anos, foi o responsável pela realização de cerca de 300 shows não somente em Mogi das Cruzes como em cidades do Vale do Paraíba e do Litoral. Confira na entrevista a seguir os planos de Alberto para 2016.

    

Caderno W: Você tem uma vida profissional ligada à noite, como baladas e shows. Como se deu essa relação com o segmento de entretenimento?

Alberto Magni: Na verdade, muitas pessoas têm esse pensamento que estou mais ligado à noite por causa dos shows e de algumas sociedades em casas noturnas, mas, na verdade, eu me considero um ‘cara do entretenimento’, porém, mais envolvido na produção do que na noite em si.

Caderno W: Quando a A.R. Produções foi criada e qual era a proposta dela? 

Alberto Magni: A A.R. Produções foi criada há 15 anos, em outubro de 2001. Tivemos o prazer de fazer o nosso primeiro show/evento com a Cássia Eller. Naquele momento, o nome ainda era ‘fantasia’ e não tinha um objetivo formado. Apenas queria realizar um grande evento em minha cidade. Antes de entrar no segmento, quando jovem, eu tinha sido baterista e o meu maior sonho era ter uma banda famosa [nos anos 1980, toquei na banda Metrópole], mas como isso não ocorreu, eu me realizei promovendo shows.

Alber
Com a esposa, Alessandra

Caderno W: Depois da Cássia Eller, vieram quantos mais?

Alberto Magni: Logo depois veio o da Ivete Sangalo, no Mogi Shopping, e não conseguimos mais parar. Foram mais de 300 shows e eventos, realizados não somente em Mogi das Cruzes, mas como também em São José dos Campos, Taubaté, Guaratinguetá, Litoral Norte, dentre outras cidades. Eu acredito que na época em que atuamos nesse segmento, tivemos a oportunidade de trazer os grandes shows que o público gostaria de assistir naquele momento.

Caderno W: Quais shows você mais destaca?

Alberto Magni: Foram vários, mas posso destacar: o histórico show da Cássia Eller, Roberto Carlos, Ivete SAngalo, Cláudia Leitte, O Rappa, Ana Carolina, Roupa Nova, Jorge & Mateus, Exaltasamba, Jota Quest, Chiclete com Banana, etc.

Caderno W: Por qual motivo a A.R. parou com os shows? Pensa em voltar?

Alberto Magni: O mercado de shows sempre foi um risco muito grande, e nos últimos anos, devido ao cenário musical ter mudado bastante, com espaço apenas ao estilo sertanejo e seus cachês altos, resolvemos dar um tempo e focar no segmento corporativo e público. Talvez no futuro, quem sabe possamos voltar a fazer grandes eventos.

Alber1
Viagem em família: com a esposa, Alessandra, e os filhos, Maria Vitória e Albertinho

Caderno W: Hoje, qual é a área de atuação da A.R. Produções?

Alberto Magni: Devido à grande exposição em razão dos shows promovidos, começamos a ser contratados para fazer eventos corporativos de grandes portes. Tivemos clientes importantes, como a Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e a Helbor, dentre outros. Atualmente, atendemos eventos corporativos e no setor público.   

Caderno W: Você já tinha atuado no segmento do entretenimento?

Alberto Magni: Não, nunca havia atuado.

Caderno W: Além de promover grandes shows na cidade, você já foi sócio de importantes casas noturnas. Fale sobre isso:

Alberto Magni: Por causa desse sucesso no setor de shows, vieram os convites para as casas noturnas. Eu já fui sócio do The África Club, Porto Vittória e The Club.

Route
A banda Route

Caderno W: Quais são os planos para 2016?

Alberto Magni: Atender os nossos clientes e prospectar novos.

Caderno W: Agora vamos falar sobre a ROUTE 8.0. Como surgiu a ideia de criar a banda?

Alberto Magni: O meu amigo Marcelo Bonanata, executivo da Helbor, e eu descobrimos que tínhamos tocado em Mogi na mesma época, nos anos 1980, mas não nos conhecemos naquele momento. Foi durante um evento, no Clube de Campo, há três anos, subimos ao palco e ‘demos uma canja’. Depois disso, veio a conversa de montarmos uma banda. Até que, finalmente, no fim do ano passado, em outra conversa informal, a banda se tornou realidade.

Alber2Caderno W: É uma banda de amigos, como se conheceram?

Alberto Magni: Sim. O Marcelo é contrabaixista. O André Barufi, amigo em comum, é o tecladista. O Celso Maia, guitarrista e vocalize, é amigo do André e do Marcelo. O vocalista Fernando Maque, amigo de todos eles e ele nos trouxe o nosso guitarrista solo Quinho Trindade.

Caderno W: Já há uma agenda de shows?

Alberto Magni: Estamos montando uma, até mesmo porque a nossa banda é mais um hobby. Mas pretendemos fazer shows especiais há cada dois ou três meses. Mas o nosso próximo show será no dia 13 de maio, no Three Dogs Pub. A nossa proposta é fazer um som de qualidade com repertório de pop-rock e clássicos nacionais e internacionais doa anos 1980 e 1990 para nossos amigos e futuros fãs. O nosso primeiro show, no dia 25 de fevereiro, foi sensacional.

Caderno W: A vida não é só trabalho, né, Alberto? O que gosta de fazer quando tem uma folga?

Alberto Magni: Eu gosto de ficar com a minha família e viajar. Gosto muito de montanha. Sempre que posso vou a Campos de Jordão.

Caderno W: Deixe uma mensagem-convite para “os futuros fãs”:

Alberto Magni: Queridos amigos e fãs, foi um prazer receber toda a energia no nosso primeiro show. Vamos preparar um show mais especial ainda para o dia 13 de maio. Contamos com vocês.

Veja a seguir uma galeria de imagens de Alberto Magni em seu momento família: