Recordar é viver

Postado em 28 de setembro de 2017

A quinta amanhece com o sol entre nuvens…pode ser que chova…e se isso ocorrer serão pancadas de chuva…rs…nada que vá resolver a secura que está no ar. Pelo fato de morar no meio do mato é menos traumatizante, a não ser as queimadas que ocorrem e causam estragos. Em minhas idas e vindas da cidade vejo queimadas. Todo cuidado é pouco. A natureza é o que temos de mais sagrado neste planeta. Tem que ser preservada para a nossa sobrevivência. Mais um dia de trabalho que se inicia em casa, adoro um home office, sentado em uma mesa com vista para a mata, portanto, inspirador, com a certeza de que os projetos continuam sendo desenvolvidos com profissionalismo, deixando as vaidades de lado. Há quase 42 anos observando e registrando os fatos mais relevantes de uma sociedade vi muita gente passar, como meteoros, porque vivem só da aparência, da superficialidade, que é efêmera, não constroem nada mais sólido que lhes permita sobreviver…rs… em um mundo cada vez mais conectado.  Costumo dizer que o Caderno W sou eu, Willy Damasceno, resultado de anos e anos de muito trabalho, de muitos acertos, de muitos erros, e como editor venho transformando a marca como referência em informação diferenciada. Aprendo com a Cabala que o ego tem que ser domado, e mais com os pés no chão, correr atrás dos sonhos, que se materializam na medida em que acreditamos neles. Sem deslumbramentos de nenhuma espécie…rs… O Caderno W se renova e o resultado são os elogios que tenho recebido de todos os lados, que funcionam como incentivo para eu continuar me reinventando. A edição impressa de setembro, que está circulando em Mogi das Cruzes e que pode ser folheada também no portal, ficou realmente um primor. Está bonita, com cara de revista, recheada de fatos e fotos revelando momentos de uma sociedade que evolui preservando  valores que acrescentam bem estar. Com identidade própria, eu diria,  estilo, aliás, bem forjado, trabalho agora, em tempo integral, em cima da produção da festa que ocorrerá no dia 9 de dezembro no Club Med Lake Paradise e que vai fechar com chave de ouro a agenda social de 2017. Messias Venturine já me assessora neste sentido. De olho na festa, resolvi há alguns dias voltar a passear os olhos pelo arquivo fotográfico e tenho encontrado registros inéditos dos Anos 70, 80 e 90, os compartilho, e os mesmos repercutem gerando uma gostosa efervescência  nas redes sociais. Fiz mais uma seleção de fotos e componho mais uma Galeria no melhor estilo flash back. E a abro com a foto onde apareço nas boas companhias de Neimar e Marcos Souza Leite, num dos bailes de carnaval do Club de Campo. Bons tempos. Bons momentos. Recordar é viver.

Blogs


Não nos responsabilizamos pelo conteúdo dos artigos dos blogs, a responsabilidade é de seus respectivos autores.