Confira as dicas para não cometer gafes no amigo-secreto do trabalho
Confira as dicas para não cometer gafes no amigo-secreto do trabalho

Natal é sinônimo de presentear amigos, família, tempo em que o Papai Noel desperta a imaginação de muitas crianças e em que muitas empresas utilizam o amigo invisível ou secreto para confraternizar com seus funcionários e trocar presentes. Essa brincadeira tradicional nas festas de fim de ano deixa muita gente com dúvida sobre o que comprar para o amigo. Fica mais difícil ainda quando o amigo é de outro departamento ou o chefe.

A diretora da Inthegra Talentos Humanos, que também é gestora de Recursos Humanos, Vianei Altafin, diz que o presente é algo especial, pois indica o quanto essa pessoa é importante e valorosa para o outro. A gestora explica que alguns presentes devem ser evitados. “Peças muito íntimas, livros religiosos, bebidas alcoólicas, filmes e roupas não são boas opções. Para presentear um amigo é preciso conhecê-lo bem e presentes muito específicos muitas vezes não agradam. Além do mais o bom senso sempre deve prevalecer. É preciso tomar cuidado ao presentear alguém do sexo oposto, principalmente se o mesmo for casado”, orienta a especialista.

Então qual a melhor opção? O ideal, explica Vianei, é dar prioridade a presentes mais comuns como, por exemplo, bombons, agenda, porta-retrato ou porta-caneta, caneca, chaveiros personalizados, caneta laser e até dinheiro dentro de um envelope.

Outro impasse é na hora da revelação desse amigo. “Cuidado com as palavras. Nada de apontar características físicas ou apelidos que possam incomodar ou depreciar colega. Esse é um momento de descontração, troca de presentes e não de expor o amigo de alguma forma. E caso não goste do presente, leve com otimismo e senso de brincadeira. Então nada de cara feia”, diz Altafin.

Se a opção for ao invés do amigo secreto, o amigo da onça o cuidado deve ser ainda mais redobrado. Nesta brincadeira de Natal todos ganham presentes, mas a pessoa que recebeu decide se troca ou fica com o presente que escolheu. A idéia desta brincadeira é que cada participante compre um presente qualquer e escolha o presente de sua preferência para ficar (mas nem sempre fica). “Cuidado com o presente que vai comprar, se essa for a brincadeira”, conclui Vianei Altafin.