Ary
Questione-se sim, faz bem!

Quantas vezes você olhou para si mesmo e se questionou? Sim, questionou-se a respeito daquilo que você faz; questionou-se a respeito daquilo que você deseja; questionou-se a respeito das coisas e das pessoas com as quais você convive; questionou-se sobre suas perspectivas futuras. Afirmo, sem medo de errar, que foram pouquíssimas vezes, não é verdade? Que tal fazermos isso agora?

Está feliz com tudo o que você faz? Ou você percebe que, muitas vezes, não consegue sentir prazer, pelo menos, o pleno prazer que se deve sentir na profissão escolhida. Sente-se recompensado por aquilo que faz; percebe os frutos dele colhidos e tem a certeza de que está no caminho certo e que deixará um rastro significativo de quem não só passou pela vida, mas presenteou a muitos com uma vida efetiva e enriquecedora?

Está feliz com suas escolhas? Claro que seu julgamento deve ser consciente, uma vez que você precisa ser imparcial e fazer essa avaliação num momento em que esteja plenamente equilibrado. Para isso, você precisa entender que suas decisões foram tomadas em um determinado momento de sua vida e são posições que, possivelmente, valerão para sempre. Não se esqueça, porém, de que, a cada dia, você muda; é outra pessoa, mais velha, mais experiente, mais questionador. Sendo assim, uma reflexão constante para avaliar se o que quis um dia é o mesmo que quer hoje torna-se imperativo.

Está feliz com as coisas e as pessoas que o rodeiam? Sim, indague se lhe é gratificante tudo o que acontece ao meu redor. As pessoas e as coisas, com as quais se relaciona, acrescentam algo positivo em sua vida? Tudo o que o envolve faz efetivamente com que se sinta feliz e, como consequência, o fortalece na ideia de continuar onde está? Nota que está crescendo e, para sua alegria, tornando-se, a cada instante, uma pessoa melhor? A resposta não é fácil de se encontrar, claro, mas é necessário trabalhar para obtê-la.

Está feliz com tudo o que ainda deseja para sua vida? Ou deixou de sonhar? Tem forças para acreditar que ainda pode fazer muito por si e pelos outros, fazendo com que isso traga um alento maior à sua vida? Tem a certeza de que é útil e essa utilidade representa a chama que estimula suas conquistas, que, por sua vez, fazem de você um ser humano mais digno.

Enfim, está feliz com sua vida?
Quantas vezes fizemos essa reflexão? Pouquíssimas, não é verdade? Mas, hoje, você conseguiu realizá-la e tenho certeza de que lhe fez bem, pois imagino que se sente mais leve e mais otimista. Será que alguma coisa vai mudar a partir de agora? Será que será capaz de traçar algumas diretrizes que o levem a um lugar melhor? Tenho certeza que sim, pois acredito que já não é o mesmo que iniciou a leitura deste texto.
Quanto a mim, confesso que gostei da experiência! E estou feliz! E você?