Pesquisa indica que a maioria das pessoas não usa filtro solar
Pesquisa indica que a maioria das pessoas não usa filtro solar

Nas últimas décadas a incidência de câncer da pele aumentou significativamente no mundo todo e no Brasil, segundo dados obtidos por meio das campanhas de prevenção à doença da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), estima-se que 76% dos homens e 62% das mulheres se expõem ao sol sem qualquer tipo de proteção.  O câncer de pele é o mais frequente no Brasil e corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Apesar de ser essencial à vida, pois proporciona sensação de bem-estar e alegria, o sol também pode causar danos à pele, devido aos raios UVA, UVB, IV (Infravermelho) e luz visível, como: câncer, envelhecimento precoce, irritações, inflamações, lesões, queimaduras e feridas.

Para se cuidar e se prevenir destes males é necessário usar protetor solar de qualidade e adequado a cada tipo de pele. Mas, este hábito é recente no País, do final da década de 80, graças a campanhas de esclarecimento. “A proteção contra os raios UVA e UVB deve vir indicada no rótulo dos produtos. Os protetores que contém ação tonalizante, também, contribuem para bloquear os danos causados pela luz visível e para uma ação ainda mais efetiva, os filtros solares mais modernos protegem o DNA celular e o colágeno, prevenindo o envelhecimento precoce. Possuímos uma variedade de produtos com estas fórmulas para a saúde e bem-estar dos nossos clientes”, declara Marta Foppa, empresária da ADCOS cosmética em Uberlândia.