pet dentro 2102

Criar um pet é um trabalho muito cuidadoso. Além de muito carinho e atenção, o dono deve estar atento a tudo que ocorre com o animal para que ele tenha uma vida segura e feliz. Além disto, é necessário que se tenha um veterinário para atendê-lo sempre que houver algum problema e, obviamente, deixar as vacinas sempre em dia.

Abaixo, é possível conferir passo a passo os principais cuidados:

Como adquirir

Um animalzinho pode ser adquirido em pet shops, junto a criadores ou em feiras de doação. O importante é que seja observado se ele apresenta uma boa condição em relação a sua saúde, como vacinas e vermifugação em dia, se a escolha do local para a aquisição é idôneo e, antes de definir a aquisição, é preciso avaliar se todos da casa estão de acordo, se o espaço é adequado para a raça escolhida e se a família está preparada para tê-lo por longos anos.

É fato que o mercado pet encontra-se aquecido, o que resultou em 2012 uma renda de R$ 13,6 bi, segundo a ABINPET (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação). Além de existirem muitos animaizinhos disponíveis para compra, é possível encontrar filhotes e adultos para adoção. “Ao comprar ou adotar um pet é importante que a posse seja responsável”, afirma Isabella Vincoletto, veterinária da Vetnil. “Na hora da escolha, além da idoneidade do local, é importante optar pela empatia e escolher aquele que a pessoa mais se identificou”, completa.

Arrume a casa para receber o animalzinho

É muito importante deixar a casa pronta para receber o filhote. O espaço deve ser seguro para que ele se sinta tranquilo. Primeiramente, é bom tirar os vasos de plantas e flores do chão e, quem reside em casa, deve ter cuidado com o jardim, por exemplo. Peças valiosas do mobiliário, tapetes, estantes baixas com objetos e livros à vista, sapateiras abertas e baixas devem ser retirados ou isoladas, pois podem ser roídas pelos filhotes.

Compras necessárias

Além do animalzinho, é necessário comprar alguns itens indispensáveis para os cuidados do pet. São eles: vasilha para água e ração (de preferência a mesma fornecida no canil/abrigo ou a indicada pelo médico veterinário); guia e coleira; escova e pente para cuidados com os pelos; xampu e condicionador; brinquedos; acessório de identificação para ser colocado na coleira; ossinhos e snacks para distração; caixa de primeiros socorros; escova de dentes e pasta para cães.

Para cuidar da higiene bucal, uma dica é o Periovet Gel, da Vetnil. O produto é inovador e serve tanto para cães, quanto para gatos. Trata-se de uma solução sabor menta a base de digluconato de clorexidina a 0,12%, para auxílio da manutenção da saúde bucal e do controle da halitose. É capaz de promover a higienização da cavidade oral através da aplicação sobre as superfícies dentárias e gengivais, podendo também ser utilizado como enxaguante bucal. Trata-se de um produto determinante para a higienização oral especialmente antes, durante e após avaliações e procedimentos na cavidade.

Alimentação

Para filhotes, devemos optar pela ração específica. Existem diversos tipos e marcas no mercado, e a melhor opção deve ser indicada pelo veterinário, na primeira consulta ao animal. A quantidade ideal de ração a ser oferecida ao filhote varia de acordo com a raça e o peso. Se no começo o filhote rejeitar a ração, é recomendado insistir e evitar misturar outro tipo de alimento, como carne e arroz, que não fazem bem ao filhote e dificultam sua adaptação à ração.

A partir de um ano de idade, o cão pode passar a comer a ração para adultos, que também deve ser administrada de acordo com o peso e a raça do animal. “Filhotes pequenos devem se alimentar de três a quatro vezes por dia e essa quantidade deve ser diminuída à medida em que vão crescendo, por exemplo, cães adultos devem comer apenas duas vezes por dia”, afirma a Isabella. “O excesso de alimentação em cães acima de 1 ano pode gerar obesidade e acarretar uma série de problemas à saúde do animal”, acrescenta. Deve-se também evitar alimentar o animal apenas uma vez por dia, impedindo que ele coma grandes quantidades de uma só vez, o que também causa problemas de saúde, principalmente em raças de porte grande.

Banhos

Os banhos são recomendados para animais acima de 45 dias de idade. O animal deve ser banhado com água morna e ter os ouvidos protegidos com algodão, para evitar a entrada de água. Deve-se usar sabão de coco ou xampu neutro. Podem-se usar, ainda, xampus específicos para cada tipo de pelagem. Em cães de pelagem longa recomenda-se ainda o uso de condicionador específico.

Cuidados com a pelagem

Raças de pelagem longa devem receber a primeira tosa higiênica aos três ou quatro meses e, após isto, tosas periódicas a cada 2 meses. É importante escovar diariamente.

O mais importante de todos os cuidados é a atenção integral, pois, assim como uma criança, o pet não sabe o que fazer, nem quais os perigos reais para a sua vida. É interessante frisar que, se não houver nenhuma ocorrência, ele  seguirá o dono por longos anos.