Acordo neste domingo, dia 9 de junho, gelado, e peço ao meu caseiro, o João, para acender a lareira e é no espaço, diante dela que me encontro, são 8h32, na sala de tevê e som, ouvindo músicas dos Anos 70, iniciando a renovação do conteúdo do Insta, Face e do portal do Caderno W, um trabalho que realizo diariamente, quase que full time, e que já faz tempo não vejo mais como trabalho, mas sim, quase aos 69 anos, como a minha melhor terapia.  Compartilhando informação diferenciada. Com estilo forjado ao longo de mais de 4 décadas.

Como gosto de fazer, pela manhã, dou corda à reflexão em busca do autoconhecimento. Evoluir é preciso.  E o foco de hoje é a perseverança.  A tenho cultivado e constato que para se atingir uma meta, é preciso fazer muitas tentativas, sendo que cada uma o leva cada vez mais perto do objetivo, e nesse processo,  posso atingir também outros objetivos. Entre eles, relacionamentos pessoais ou a conquista de alguma coisa maior, que não foi inicialmente planejada.

Li a história de Thomas Edison, um dos maiores inventores da humanidade, sua maior invenção foi da lâmpada elétrica,  e me tornei fã dele no quesito perseverança, revelando que não só podemos chegar perto de nossas metas, mas que, no processo, aprendemos algo a respeito de nós mesmos. Através da perseverança descobrimos, em nós, virtudes que não havíamos percebido antes. Ao mesmo tempo, podemos, descobrir áreas de nossa personalidade que precisam ser desenvolvidas, antes que atinjamos nossas metas. Digo por experiência própria, que ganha-se satisfação, enquanto vamos dominando as tarefas que conduzem ao sucesso. Nesse processo aumentamos a força interior. Desenvolvemos os músculos espirituais quando trabalhamos determinados na direção  do fim desejado, que intitulamos como sucesso. É só no dicionário que a palavra  “ sucesso” vem antes de “trabalho”…rs.. .

Thomas Edison não era religioso, mas acreditava em uma “ inteligência suprema”. A fé em si próprio poderá ser esticada ao seu limite máximo quando outros lhes dizem que vai falhar. Dedicação é outro atributo do sucesso. Edison disse “ Genialidade é um por cento de inspiração e noventa e nove por cento de transpiração”. Ele nunca desanimava quando não obtinha bons resultados, mesmo após inúmeras experiências.  Quando um amigo tentou consolá-lo por não conseguir fazer um acumulador funcionar, disse: “ Não falhei. Só descobri 10.000 maneiras dele não funcionar” . Nos seus últimos anos de vida, quando perguntado de que forma a sua surdez progressiva o estava perturbando, respondeu, “ Agora acho mais fácil me concentrar”.

E fica a lição: quando perseguimos uma meta, às vezes encontramos muitos obstáculos, revezes. Há  homens e mulheres, através da história, que obtiveram  sucesso somente após terem tentado, e tentado novamente. Podemos fazer o mesmo. Continuar sonhando e, enquanto estivermos vivos, tentando sempre. Perseverando.