Vivendo e aprendo a viver. Day by day. No exame de nossa própria vida, talvez sejamos capazes de conseguir detectar o peso das atitudes do dia anterior que insistimos em carregar conosco. Talvez estejamos carregando amargura e ressentimento porque nos sentimos traídos por um amigo. Talvez estejamos carregando  raiva e um sentimento de injustiça porque perdemos algo que realmente queríamos, e que uma outra pessoa conseguiu. Talvez estejamos carregando sentimentos feridos porque fomos criticados por alguém de quem gostávamos.

Mas ficar carregando continuamente sentimentos amargos e negativos do passado, é como estar andando com uma pedra dentro do sapato. Você pode parar e tirar a pedra ou continuar andando  e deixar que a pedra machuque o seu pé e o faça doer. A escolha é sua. Pode liberar a raiva e os sentimentos feridos, assim como pode tirar a pedra.

Tudo nesta vida fica afetado quando se tenta viver carregando sentimentos amargos a respeito de alguém. Fica sempre aquela nuvenzinha pairando sobre a cabeça.

Tem uma história que gosto muito e  que ilustra bem esse raciocínio: “ Dois monges Zen estavam, um dia, a caminho do mercado quando toparam com uma enorme poça de lama que os impedia de continuar sem que se sujassem. Junto da poça estava uma linda moça que queria seguir adiante mas que também não queria se sujar. Para solucionar o problema, um dos monges se ofereceu para carregá-la  através da poça, apesar desta gentileza violar os votos que ele havia feito de nunca falar e nem ter contato com uma mulher.

Já na outra margem, a mulher agradeceu ao monge e seguiu em frente. Os dois monges também seguiram para o mercado, mas não trocaram uma palavra durante o resto do dia. Naquela noite, quando voltaram ao mosteiro, o monge que vira o outro carregando a moça através da poça acusou o companheiro de ser infiel e sacrílego. Perguntava ao outro como ele podia ser tão leviano quanto aos seus votos. A bronca continuou por quase uma hora. Finalmente o monge que fizera a boa ação se voltou para o companheiro e disse, “ Fui eu quem violou os votos carregando a moça através da poça de lama, mas, enquanto eu a deixei no caminho horas atrás, você ainda continua a carrega-la”

Tudo nesta vida fica afetado quando se tenta continuar a viver carregando sentimentos amargos a respeito de alguém. Fica sempre aquela nuvenzinha negra pairando sobre a cabeça. E aprendo, que ao sentir raiva ou mágoa, dou um tempo para a situação se acalmar, procuro a fonte da raiva, e esclareço as coisas.  Na maior parte das vezes, significa que, para poder continuar o caminho da vida sem o peso extra de sentimentos negativos, devo engolir o orgulho e esquecer quem é que está certo ou errado. Conforme disse  Shakespeare, “ O que está feito, está feito!” Nada do que eu o qualquer outro fizer apagará os eventos do passado. Perdoe, mas também esqueça.