Cada vez mais seletivo

Vivendo e convivendo em sociedade, há mais de 43 anos, vou me lapidando como ser humano e profissionalmente. Faz tempo que não faço mais aniversário só para ficar mais velho…rs… A maturidade chegou e a consciência de  que o tempo não passa, voa, me deixa ainda mais seletivo, menos intransigente, mais livre, leve e solto, não perco mais o meu precioso tempo com bobagens, respeito as diferenças, cultivo a qualidade em todos os sentidos e obtenho a alegria de viver, renovado, sonhando, aos 68 anos, daqui há alguns meses, em julho, emplaco os 69…ooopa, deu até um frio na barriga só de pensar…rs… acreditando que enquanto estou vivo, com saúde e disposição para o trabalho, a missão ainda não está cumprida. Então, sigo adiante, fazendo o que eu mais gosto, me comunicando através do Caderno W, impresso e digital.  Aprimorar é preciso e ser referência de um estilo de vida, pautado pela educação, bom gosto, elegância e civilidade é uma conquista.

Viva o amor

Dia desses uma amiga querida desabafou comigo um momento “ difícil” que está vivendo, tirando de letra, é claro, e eu lhe disse com sinceridade que o que ela tinha mais que fazer nesse momento era amar, porque só o amor gera energia positiva e quem ama não atira pedras, respeita as diferenças. Mulher integra que é, o tempo se encarrega de lhe revelar e ao seu companheiro, que o amor é o mais importante, é o que  permanece. O resto, como costumo dizer, é perfumaria, se desvanece no ar. O Caderno W celebra o amor.

No Varejão da Cobal

O domingo amanhece com um visual melhor. Não está chovendo, o sol pode até aparecer, se encontra entre nuvens, e me preparo para ir ao Varejão da Cobal para comprar verdura, legumes, frutas  e ovos caipiras para a semana, direto do produtor, e esse passeio se torna um agradável programa porque acabo encontrando amigos e com eles proseando. Paro na barraca da Joaninha, e consumo um pastel, passo pela do Tadao e traço um mini temaqui, enfim, esse é o meu café da manhã…rs…

Em São Francisco Xavier

Havia combinado com o amigo Newton Marcos Gasparini que iriamos nos rever neste final de semana, na casa da Denise Caran, em São Francisco Xavier, e, infelizmente não consegui ir, em razão de trabalho, o fechamento de mais uma edição impressa do Caderno W. Mas não faltarão oportunidades. Estou com saudade da Denise, amiga de mais de 40 anos. A conheci logo que cheguei em Mogi das Cruzes. Denise foi Miss Sociedade, escolhida em uma festa realizada pelo saudoso, Mutso Yoshizawa. Temos muitas histórias. Há muitos anos, vive, do jeito que gosta, em uma casa gostosa, projeto do amigo, Newton Marcos, no meio do mato. Uma vida simples, com todo o conforto, é claro, que, por sinal, está na moda. Adoro.