Não se colhe,  sem plantar. O tempo é relevante, se encarrega de consolidar a colheita, que pode ser boa ou ruim. Tudo nesta vida ocorre nesta vibe. É a tal da lei da causa e efeito, que, quanto mais eu vivo, constato o quanto é verdadeira. O meu trabalho de colunista social, que vem se lapidando ao longo dos últimos 42 anos, com profissionalismo, é um bom exemplo. Reservo sempre algumas horas por dia, aprendo a ficar um pouco mais disciplinado, para me dedicar a renovação do conteúdo do portal do Caderno W, que acaba de passar por uma cirurgia plástica, realizada pela Dotstore, e está mais afinado à nova realidade digital consagrando-se como formador de opinião. E burilo esse trabalho desde o ano 2000. As pessoas de um modo geral nem imaginam como ele é realizado. Claro, veem só o glamour, ingrediente este, que  cultivo com desvelo ao longo dos anos, valorizando as pessoas que são notícia, que, por sua vez, se sentem prestigiadas em sair no Caderno W. Essa energia positiva é o diferencial do Caderno W, que me incentiva a continuar acreditando que com inteligência e determinação se consegue materializar sonhos. E quero mais. O ano de 2018 está apenas iniciando e já tenho programado o que vou realizar como editor do  Caderno W. Dois grandes eventos começam a ser alinhavados. A Feijoada do Willy 2018, a 22ª , ocorrerá novamente no restaurante Mirante do Paraíba, no dia 26 de maio. A edição do ano passado foi um retumbante sucesso e repito a dose com a maior satisfação. E pretendo aprimorá-la. O mestre Valdir Stilhano gostou tanto que prometeu acrescentar novidades ao cardápio. O objetivo é reunir 600 convidados ou mais. Em junho, comemoro o meu aniversário, não abro mão…rs…festeiro como sou. E em outubro, estou escolhendo a data, ocorre a festa dos 43 anos no salão social do Clube de Campo. Como se pode perceber, trabalho é o que não falta. E me envolvo com ele com a maior satisfação.  Diariamente renovo o portal, edito o impresso sempre no final do mês e há um ano e meio me envolvo também  com o comercial e, como não poderia deixar de ser, frequento os acontecimentos, claro, que hoje sou mais seletivo e só prestigio mesmo os parceiros e amigos. Haja fôlego. Graças a Deus eu tenho. Se 2017 foi o ano da restauração, do aprendizado, do plantio de novas sementes, 2018, com certeza será o ano da boa colheita. Welcome, 2018.