A todo o momento, surgem na Internet notícias sobre novos tipos de dietas, geralmente com perda de peso rápida e já “testadas” por diversas celebridades. Uma das mais famosas nos últimos anos é a Low carb, que consiste em retirar quase que por completo todo o carboidrato ingerido, como pães, massa, arroz e até frutas. Embora essa modalidade tenha benefícios, a mestre em Nutrição pela Universidade de São Paulo, Claudia Sanibal, alerta: “Low carb não é indicada para todos”.

Pessoas com metabolismo mais lento, grávidas, com alterações hormonais e até fragilizadas emocionalmente devem evitar essa conduta. Por isso, antes de iniciar qualquer tipo de conduta alimentar é preciso procurar um nutricionista que irá avaliar, entre outros pontos, o perfil bioquímico, composição corporal, nível de atividade física, questões hormonais e emocionais além do acompanhamento da resposta metabólica que é individual.

“A avaliação e o acompanhamento nutricional são essenciais em qualquer tipo de dieta ou reeducação alimentar que o paciente pretende realizar, mas quando falamos de Low carb, que é muito restritiva, é preciso ficar mais atento. Isso porque nem todo mundo se adapta a esse tipo de conduta, sendo necessário criar cardápio individualizado, de acordo com as condições físicas e emocionais do paciente, evitando oscilação hormonal, diminuição da serotonina, perda de massa magra e outras alterações no corpo que podem deixar a pessoa sem energia, fraca e até aumentar casos de depressão”, esclarece a mestre em Nutrição “Nunca se deve pegar uma dieta na Internet e usar sem qualquer avaliação”, alerta.

 

Benefícios

Para as pessoas que fazem a Low carb de forma correta, com a orientação do nutricionista, um dos principais benefícios é a perda de gordura de forma rápida e a manutenção da massa magra (músculos). O ideal é realizar esse tipo de dieta por no máximo 20 dias, para evitar falta de nutrientes fornecidos pelos carboidratos, implantando em seguida uma reeducação alimentar.

“A perda de peso rápida é o motivo pelo qual a dieta ficou famosa, mas esse benefício só é atingido por quem passa por reeducação alimentar e volta a comer carboidratos de forma moderada e gradativa. Caso contrário, pode haver alteração da grelina, que é o hormônio da fome, o que faz com que a pessoa engorde o dobro do que perdeu”, explica. “Por isso reforço o alerta: procure um nutricionista, que é o profissional indicado para avaliar seu perfil e criar o cardápio ideal, seja de Low carb ou de outro tipo de dieta. Manter o corpo em forma é muito legal, desde que você faça isso com saúde”, finaliza.