Basta engordar uns quilinhos para elas aparecerem nas mamas, no abdômen, no culote e em outras partes do corpo. Quando vermelhas, podem até desaparecer com tratamento. Já as brancas, mais antigas, requerem um pouco mais de paciência e empenho.

“A hidratação da pele é muito importante e pode ser feita com óleos (mais eficiente) ou com cremes. Também é importante a adoção de hábitos saudáveis, como uma alimentação balanceada e o consumo de pelo menos dois litros de água por dia”, recomenda o cirurgião plástico Marco Cassol.

Para o médico, a cirurgia só é recomendada em último caso. “O ressecamento da epiderme para transformar uma estria larga em uma cicatriz fina só é indicada em situações extremas. Nas estrias abdominais localizadas abaixo da cicatriz umbilical podemos realizar a abdominoplastia (cirurgia plástica da barriga), por exemplo”, explica.
De acordo com o cirurgião plástico Marco Cassol, quatro cuidados são fundamentais para tratar e prevenir as temidas estrias:

  1. A hidratação da pele que pode ser feita com óleos (mais eficiente) ou com cremes;
  2. Adoção de hábitos saudáveis, como uma alimentação balanceada e o consumo de pelo menos dois litros de água por dia;
  3.  Existe o ressecamento da epiderme para transformar uma estria larga em uma cicatriz fina, mas este procedimento só é indicado em situações extremas;
  4. Nas estrias abdominais localizadas abaixo da cicatriz umbilical pode ser realizada a abdominoplastia (cirurgia plástica da barriga), por exemplo. Lembrando que a cirurgia só é recomendada em último caso.

“Para melhores resultados, é bom ter a avaliação de um profissional que indique o melhor tratamento conforme o tipo, coloração e tamanho da estria e também as condições do paciente”, finaliza Cassol.