Dia Internacional da Mulher ou Dia da Mulher é comemorado anualmente em 8 de março, e não é considerado um feriado nacional.Trata-se de uma celebração de conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas e, consequentemente, por diversos países. Esta data é marcada por presentes simbólicos, como flores, em especial rosas, poemas ou frases.

De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908 (Dia Nacional da Mulher), onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.Vários acontecimentos levaram à criação de um dia especial para as mulheres. Um deles foi o incêndio numa fábrica de camisas em Nova York, ocorrido em 25 de março de 1911, que mataria 146 pessoas, dessas quais 129 mulheres. O número de vítimas se explica pelas péssimas condições de trabalho e porque uma porta estava fechada para impedir a fuga das trabalhadoras.Esse incêndio levou à criação do mito de uma suposta greve que teria ocorrido em 8 de março de 1857, em Nova York, que não aconteceu. A confusão foi causada por jornais alemães e franceses na década de 60.

No entanto, o 8 de março teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação, que contou com mais de 90 mil russas, ficou conhecida como “Pão e Paz”, sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, data que somente foi oficializada em 1921. Após este conflito e com as transformações trazidas com a Segunda Revolução Industrial, as fábricas incorporaram as mulheres como mão de obra barata. No entanto, devido às condições insalubres de trabalho, os protestos eram frequentes. Também nas primeiras décadas do século, as mulheres começam a lutar pelo direito ao voto e à participação política.

Apesar disso, por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. A Organização das Nações Unidas, por exemplo, somente reconheceu o Dia Internacional da Mulher em 1977.

O Caderno W, como não poderia deixar de ser,  tem sido a passarela de mulheres que formam opinião,  selecionou um time  que não passa despercebido no trabalho que realizo há quase 44 anos, observando a vida em sociedade.. Representam a minha consideração por elas. Uma Galeria das mais cintilantes. Parabéns, queridas, pelo seu Dia Internacional.  Vocês são imprescindíveis. E abro a Galeria com a amiga de long time, Heloisa Melo, que na próxima quarta-feira celebra o seu aniversário reunindo a familia e os amigos no salão de festas do Landscape. Parabéns!

40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
Casamento Barbara & Rogerio
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
40 anos de Colunismo Social Willy Damasceno
Caderno W: O Baile da Arara Vermelha
Caderno W: O Baile da Arara Vermelha
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
5 anos_Caderno W
A Festa Willy | 42 anos
A Festa Willy | 42 anos
A Festa Willy | 42 anos
A Festa Willy | 42 anos