Não há sentimento mais nobre do que o querer bem. Gostar de uma pessoa e saber que a recíproca é verdadeira. Amar na verdadeira acepção da palavra.  Como colunista social, há mais de 40 anos na estrada, eu diria que eu não seria o que sou hoje, um homem de luta, que se reinventa, e se mantém no mercado como formador de opinião, se não tivesse bons amigos. Eles tem sido uma constante em minha vida e tornam a minha trajetória agradável. No rol dos amigos que fazem a diferença, incluo a Mirian e Plinio Freire. Tive a satisfação de  registrar o casamento deles, da filha Juliana e em breve, já fui convidado, para o casamento de Guilherme. E  nesta quinta, para me energizar um pouco mais positivamente, atraindo bons fluídos para o evento na Santa Helena, escolhi esta foto da amiga, Mirian que tive a satisfação de homenagear no Baile da Arara Vermelha. É uma mulher  maravilhosa. Agradeço a Deus por sua família existir em  minha vida há mais de 40 anos. Tudo começou em julho de 1975 quando conheci a mãe de Plínio, Judith. Uma amizade lapidada ao longo do tempo. Quer melhor energia que essa?

Mirian
Mirian