O meu programa, na noite de ontem, foi permanecer em casa e assistir o desfile das Escolas de Samba de São Paulo, no Anhembi. Confesso, que dei uma boas cochiladas no sofá da sala. Queria ver a Gaviões da Fiel, onde o meu querido amigo, Daniel Silvério iria desfilar. Há anos eu não assistia pela televisão o desfile e, confesso, que fiquei bem impressionado, chegando ao nivel das Escolas cariocas que tem um história antiga com o samba. Adorei a Vai Vai, a Império e, é claro, a Gaviões. Um belo espetáculo. Acordo no domingo um pouco mais tarde e, como sempre faço, vou conferir as mensagens no smartphone. E é com uma delas que renovo o conteúdo do Caderno W deste domingo de carnaval. O amigo, Gilberto Bianchi, que mora em Eltville, uma cidade pequena, na beira do rio Reno, próximo de Frankfurt, a 15 minutos de Visbaden, na Alemanha, onde já estive duas vezes, em 2010 com minha saudosa mãe, Maria Herbene, e em 2013 tive a satisfação de passar um final de semana hospedado com Gabi e Gilberto, cujo casamento registrei em minha coluna no Diário de Mogi, e depois nos livros, Willy & Sociedade e W. Cronica  um tempo. Gilberto, que esteve recentemente em Mogi, almoçamos com o Nelson Rodrigues Junior, no Club Med Lake Paradise, me enviou esta foto, numa das visitas ao Brasil, ele é de Suzano,  e se casou com Gabriela, alemã, que veio para Suzano menina, seu pai foi diretor da Hoechst, e sua mãe, Helga, tive o prazer de conhecer e de com ela conviver. Gilberto e Gabi se casaram em 1990 e foram morar na Alemanha, e numa das vindas a Suzano, coincidiu com a Feijoada do Willy e participaram, com os filhos, Mariana e Felipe, crianças, vestindo a camiseta, a quarta edição, celebrando o programa que eu tinha na Rádio Diário. Vai fazer 18 anos. Adorei o recuerdo e o compartilho com a maior satisfação. Afinal de contas, recordar é viver.