Acordo na segunda um pouco melhor, menos dolorido….rs… Fiz o registro do tombo de sábado e não é que o mesmo repercutiu…rs…até o padrinho e amigo, Chico Ornellas, fez o seu bem humorado comentário ” Há que ter cuidado, meu caro Willy Damasceno. De um amigo comum, há muitos anos, ouvi: ” Após os 60, morre-se de tombo, tosse e afito”. É verdade. E comentava com Mari Mendonça, na manhã desta segunda, que tenho que tomar  cuidado dobrado, porque devo ter puxado mamãe, que era estabanada…rs…E aprendi com este tombo que jamais volto a falar ao celular, caminhando…rs…Vivendo e aprendendo a viver. Como diz um amigo, a gente só aprende mesmo de verdade, sofrendo. Por orientação médica, não faço esforço físico, e aproveito hoje para permanecer, mais, em casa, e trabalho em cima da edição impressa do Caderno W que na próxima sexta finalizo com Maria Salas, Marcinha Monteiro e Edna Zampa. Hoje, se celebra o Dia dos Namorados, se celebra a energia que mais faz bem a todos nós, o amor, e eu não poderia deixar de desejar a todos os que se amam momentos da mais pura cumplicidade. Não é por acaso que as pessoas aparecem na vida da gente e quando há uma química então o relacionamento se consolida e se constrói uma história de amor. Conheço algumas dezenas de casais que vivem muito bem. Alguns são casados há mais de 50 anos. Cidinha e Roberto Pires, estão no rol dos que acompanho mais de perto e sou testemunha do amor, do respeito, do carinho que nutrem um pelo outro. E os escolhi para representar os namorados, os enamorados, e todos aqueles,  que nesta segunda saem à noite para jantar e celebrar o bom relacionamento. E viva o amor.

Rpberto e Cidinha