O ano de 2018 está iniciando e a cidade está mais vazia, mais tranquila por conta das férias escolares de verão. E aproveito o sossego para trabalhar em cima dos projetos que o Caderno W tem para o ano, dentre os quais, a Feijoada do Willy, a 22ª edição, que irá ocorrer novamente no restaurante Mirante do Paraíba, no último sabado de maio, dia 26, e a grande festa dos 43 anos, que pretendo realizar em outubro, no salão do Clube de Campo. Nesta terça-feira, Felipe Martins, da Dotstore, que está somando com o Caderno W com um profissionalismo impar, só tenho elogios ao seu trabalho, e seu pai, o artista Marco que encarreguei de criar a arte que irá na frente da camiseta anunciando a Feijoada do Willy 2018. Com o apoio deles a camiseta vai ser materializando com bom gosto e deve ficar pronta em meados de março. O primeiro trabalho é convidar parceiros para participarem com suas marcas desse evento, inserindo-as na camiseta, que é o passaporte de entrada na festa que começa as 12 horas e se estica além das 18 horas.  E já começo a faze-lo. O mestre cuca, Valdir Stilhano é irrepreensível, oferecendo o que há de melhor aos convidados, me disse na semana passada que vai agregar novidades no cardápio. Se a feijoada do ano passado rolou nota 10, imagino a deste ano, que me permite sonhar com uma cobertura transparente unindo os ambientes e gerando uma efervescência maior,com o palco no centro. Em grande estilo. E posso adiantar que a camiseta se tornará objeto de desejo. E já que a Feijoada é o assunto, fui buscar esta foto no arquivo. No foco, o padrinho, Chico Ornellas, com Nanci, Clarissa, Fabinho e Veridiana, a Menina de Laço. Com a maior satisfação vou jantar nesta quarta com eles na casa de Clarissa  e Fabinho, no Real Park. Não é nem preciso dizer que a prosa rolará solta e animada, divertida, porque quando amigos de mais de 40 anos de convivência se encontram assunto é o que não falta. E aproveito para conversar com o Chico sobre o meu terceiro livro, agora, o autobiográfico. Quero a sua opinião.