O carnaval passou, março inicia no próximo domingo , o terceiro mês de 2020, e o Caderno W, como não poderia deixar de ser, se renova, se afinando, em doses homeopáticas, ao espírito da época, com um olhar cada vez mais digital, já estou na estrada há 20 anos, me valendo das Redes Sociais, Istagram e Facebook, para  valorizá-lo como fonte de boa informação, respaldado em um trabalho que vem sendo realizado na mídia impressa há quase 45 anos, que no dia 24 de outubro próximo, se Deus quiser, comemoro com uma grande festa black tie, no salão do Clube de Campo.

Antes, no dia 30 de maio, rola a Feijoada do Willy 2020, a 24ª edição, e como não poderia deixar de ser, só tenho olhos, a partir de agora,  que o ano começa de verdade…rs… para a sua produção,  que ocorrerá pela quarta vez no maravilhoso restaurante Mirante do Paraíba, na Freguesia da Escada, em Guararema, este ano, com um diferencial, contando com a participação mais efetiva de Valdir Stilhano, que soma comigo, agora como sócio, valorizando-o  com novidades, entre as quais, no cardápio, acrescentando, além da famosa e farta feijoada, servida do meio dia as 18 horas em buffet self service,  comida vegana e vegetariana, e sua famosa cozinha show, para atender a todos os paladares. Evoluir é preciso. Portanto, a Feijoada do Willy 2020 ganha esse merecido up grade, deixando de ser uma simples feijoada para se tornar um evento gastronômico do mais alto nivel.

Este ano, no desenvolvimento do projeto, conto com o apoio da Doop Digital, de Felipe Camargo, que cuida do marketing, criou a arte que vai enfeitar a camiseta, o passaporte de entrada no evento, que compartilho na capa do Caderno W impresso e digital, numa simbiose oportuna, que, a partir de agora, será devidamente valorizada com a participação dos parceiros que começo a visitar oferecendo-lhes a frente e a costa como vitrine de suas logomarcas.

Com dois grandes eventos na agenda, decido, oportunamente, que deixo o lançamento do livro “ Tô Lembrando” para 2021, que já estou editando, para a comemoração dos meu 46 anos de colunismo social. Assim tenho mais tempo para me dedicar à sua realização.

O sucesso de qualquer empreendimento está baseado na objetividade, no alto nível de esforço diário, e na persistência. Constato que nunca chegamos ao final de nossas conquistas. Sucesso não é uma finalidade, mas uma jornada em minha existência.  Uma jornada de busca e aprendizado em cada situação vivida, onde tento alcançar o que há de melhor dentro de mim, como ser humano e como profissional. E nessa condição vejo quais são as áreas que podem ser melhoradas. E luto continuamente para atingir o máximo de minha capacidade, mesmo que possa eventualmente falhar. Repito,  evoluir é preciso.