O meu bom dia ganha ar praiano no final de 2018.

Sim, na quinta-feira (ontem), pela manhã peguei a estrada Mogi-Bertioga, rumo ao litoral e, como era esperado, demorei mais de quatro horas, um trânsito lento, para chegar ao meu destino, o refúgio do amigo Newton Marcos Gasparini, no sertão de Cambury.

Em 2016, estive com ele no réveillon. Em 2017, fiquei em Mogi e neste ano aceitei novamente o convite para passar alguns dias na praia, para juntos darmos as boas vindas ao ano de 2019, na mesma frequência. Vibrando positivamente.

Conheci o Marcos em 1985, em Cambury. Eu estava hospedado na casa dos amigos Sonia e Eduardo Crissiuma de Figueiredo, em Juquehy, e, ao longo de mais de 33 anos, lapidamos uma amizade com ótimos capítulos, com ótimas histórias, algumas delas, com certeza, vou incluir em meu novo livro “ Tô Lembrando”, que inicio oficialmente a edição em janeiro de 2019 com planos de lançá-lo em novembro de 2020.

Vim para a praia querendo tomar um bom banho de mar para limpar toda a “zica” de 2018….rs… se é que existiu, porque para mim, de uns tempos para cá, tudo é aprendizado. Mesmo as coisas ruins…rs… se é assim que podemos chamá-las. Iniciei o ritual ontem, quinta, entrando na piscina de água mineral. Deliciosa. E hoje, pelo que estou sabendo, o programa do meu anfitrião é iniciar o tempero de um pernil com a empregada Dirce, que está com ele há mais de 20 anos, que será assado para o dia 31 de dezembro, a próxima segunda-feira, e depois seguimos para a praia para dar um volta de barco. Vida ruim a minha…rs… Eu mereço o relax, que, a partir de hoje, desfruto unindo o útil ao agradável…rs… afinal de contas tenho o hábito saudável de compartilhar o que vivo. Só as coisas boas, é claro…rs… as tristes, infelizmente, de vez quando, como a partida dos entes queridos.

Acordei cedo e logo vim para fora para curtir o amanhecer nesse paraíso. O sol aparece. Eu moro no meio do mato e estar aqui no sertão do Cambury, é um up grade, cercado por uma natureza exuberante, ouvindo os pássaros, é uma verdadeira orquestra, vou gravar e compartilhar no Instagram, em plena mata atlântica com todo o conforto, inclusive com Wi-Fi para eu poder compartilhar as impressões no Caderno W, não tem preço.

E, como não poderia deixar de ser, naturalmente agradeço a Deus o privilégio de estar nesse lugar tão lindo. São 8 horas e Marcos me chama para o café da manhã. E lá vou eu. Antes, faço um registro da natureza, do sol iluminando-a em grande estilo.