Vivendo e convivendo em sociedade é que me lapido, como profissional e como ser humano. Sim, o Willy de hoje não é o de 1975 quando debutou no colunismo social, tem uma vida toda, muito bem vivida, aliás, registrada em dois livros e me preparo agora para o terceiro, que será recheado de boas histórias da sociedade, da qual, sem falsa modéstia, me considero o Cronista Mor. Sempre me reinventando, me renovando, buscando novas alternativas para não resvalar no lugar comum.  O colunista que permanece observando a vida em sociedade através dos anos e dela compartilhando os fatos mais relevantes, devidamente afinado ao espírito de cada época. Com bom gosto e elegância.  Com o advento da Internet, mais do que depressa me envolvi com ela a ponto de criar o portal do Caderno W  cujo conteúdo renovo diariamente,  contando as boas histórias do dia-a-dia, que fazem a diferença em nossas vidas. Na minha faz muita.  Odeio a rotina. Essa essência faz parte da minha personalidade, que com o passar dos anos, se burila e fica mais seletiva. Em todos os sentidos.

Entre as coisas boas que ocorreram em 2018, um ano de muitas lutas, de muitas conquistas, foram os amigos que surgiram e vieram para fazer a diferença em minha existência. Entre os quais, que conto nos dedos de uma mão, Denise Almeida e Mário Santos do Prado, com o filho Luigi, adolescente com pinta de adulto, ele é uma graça, super educado, um smart boy. Ele quis ir à comemoração dos 43 anos, foi e me disse que gostou muito.

Em agosto passado surgiu a M8 Imóveis e Denise, Mario e eu ficamos sócios. Estamos plantando em 2018 para termos uma boa colheita em 2019, e teremos, com certeza. E com esta bela foto, dou o start nos comentários que gosto de fazer, compor legendas sempre recheadas de positividade, revelando pessoas pelas quais nutro um carinho todo especial. Gente bonita e de bem com a vida.  Os amigos que estiveram comigo na noite do dia 23 de novembro, já revelados em Galerias de fotos, me acarinharam e, confesso, me senti o mais feliz dos mortais. Ontem, Maria Salas e eu escolhemos as fotos da festa dos 43 anos  que vão enfeitar a edição impressa do Caderno W.  O tempo não passa, voa. Faz uma semana que a comemoração ocorreu e as boas lembranças afloram, gerando os mais efervescentes comentários em sociedade. Realmente a festa dos 43 anos foi um sucesso.

Cintilantes, na festa dos 43 anos, Mário, Denise e Luigi. Que fechou com chave de ouro a agenda social de 2018

Nesta sexta, saio da rotina. Estico a São Paulo para comemorar com Alessandra Ramos Bisognin os seus 50 anos, a conheci com 7 anos, durmo lá e no sábado pela manhã vou  a Sinagoga da Liga Israelita, Comunidade Shalom, para participar com alegria do Bar Mitzvá de Roberto Spreafico Neto, filho dos queridos amigos, Roberta e Max de Oliveira, e depois da festa no Buffet Estação Club.  Momentos da mais pura emoção. Retorno no final da tarde para Mogi para a festa de 15 anos de Maria Fernanda Bier, no Privê. Haja fôlego…rs… o melhor de tudo é que não bebo…rs…