Quando se faz o que gosta, o trabalho se torna algo prazeroso. No meu caso então, jornalista, colunista social, adquire uma outra consistência já que me deleito em noticiar as pessoas e os fatos mais relevantes de uma sociedade, há quase 44 anos. Destacando é claro os amigos. E, por falar em amigos, pincei esta foto no arquivo, da festa memorável dos meus 43 anos de colunismo social, realizada em novembro de 2018 no salão do Clube de Campo, onde aparecem Fernando, Adalgisa, Mário, Denise e Luigi. Uma bela foto, by Marcos Vieira. Fernando e Dal encontro sempre no Dom Bistrô, Denise e Mário já faz um bom tempo que não encontro e, confesso, estou com saudade. Precisamos agendar um meeting. No exercício diário dessa profissão me reciclo e me afino à  realidade da mídia digital conquistando espaço e ressonância.  O Caderno W se torna referência, primando pelo bom gosto, elegância e civilidade na hora de registrar a notícia. Não é à toa que é passarela de gente que forma opinião. Gente que brilha.