Se há uma coisa que eu gosto de fazer quando estou em casa, com a lareira acesa, para amenizar o frio, o desta noite, de sexta, gelado, é passear os olhos pelo arquivo fotográfico, que digitalizei para  o livro W Crônica de um tempo, e encontrar  pérolas. Como essa, que chamou a minha atenção e me fez sorrir e pensar em uma boa legenda. O menino Ronaldo Alabarce, que, aliás, vi nascer e crescer, com o Ediel Braz Soares. Uma  foto que tenho certeza vai gerar bons comentários em sociedade. E só pode se dar a esse luxo quem observa e registra a vida em sociedade há mais de 40 anos. É o meu melhor presente, aliás, incentivo para que eu continue à frente do Caderno W, que agora é só meu, disposto a  realizações que consolidem um trabalho, mais do que um trabalho, uma missão de vida movida pela alegria de querer sempre mais e melhor para compartilhar. Recordar é viver e dou corda à nostalgia resgatando registros como esse do Ronaldo e Ediel. Um belo registro.

Ronaldo e Ediel
Ronaldo e Ediel