Pitty e Elaine

Formado em Pedagogia, Percy Benedicto de Siqueira Júnior, o Pitty, de 48 anos, é o gestor administrativo do Colégio Tomás Agostinho. Casado com Elaine Cristina Gomes de Siqueira – aliás, este mês de junho é especial para eles, pois irão celebrar 20 anos de casamento -, é pai de Percy Neto, de 19 anos, Paulo Henrique, de 17 anos, e Maria Eduarda, de 11 anos.

 

Caderno W: Você vem de uma família tradicional com histórico voltado para a Educação em Mogi das Cruzes. Seguir esse mesmo caminho sempre foi uma decisão sua?

Percy Benedicto de Siqueira Júnior, o Pitty: Realmente estamos na área da Educação há muito tempo. Acredito que foram os acontecimentos e as circunstâncias que fizeram com que tomasse a decisão de trabalhar nesse segmento. Meu pai, o professor Percy Benedicto de Siqueira, havia acabado de recomeçar um novo ciclo profissional, isso em 1990, e nesse momento eu havia ido fazer a faculdade de Agronomia. Por isso, respeito os jovens que hoje, muitas vezes não tem certeza da carreira que irão seguir. Mas, ao ver, que ele precisava da nossa ajuda, tranquei a faculdade e vim para Mogi, onde fiz a faculdade de Pedagogia e sou apaixonado pelo que faço.

 

Com a família

Caderno W: Você acredita, ou espera, que os seus filhos deem continuidade ao mesmo segmento familiar?

Pitty: Honestamente, diariamente em minhas orações, eu peço que eles sejam felizes e realizados naquilo que forem escolher para seu futuro. Claro que seria motivo de muito orgulhoso para todos nós, em ter a nossa terceira geração à frente do Colégio.

 

Caderno W: A sua esposa, Elaine, é o seu braço direito até no Colégio, não é mesmo? Isso ocorreu de forma natural? Hoje, qual é o cargo que ela ocupa e qual é a avaliação que você faz do crescimento dela à frente da escola?

Pitty: Sim. Posso dizer que ela é meu braço direito e esquerdo. Ocorreu de forma natural, quando os meus sócios saíram do Colégio e precisava de mais uma profissional para somar no nosso trabalho. Hoje, a Elaine atua como diretora pedagógica da Unidade 2. Ela é formada em Psicologia e pós-graduada em Psicopedagogia. O trabalho dela tem sido extremamente benéfico para o Colégio Tomás Agostinho, pois, além de dedicada e comprometida no que faz, seguimos desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, com os valores éticos e morais que foram a base do trabalho de educação que meu pai desenvolveu por mais de 40 anos em Mogi. O crescimento de nosso Colégio também é fruto do trabalho e dedicação dela. Grande profissional.

 

Caderno W: Como nasceu o Tomás Agostinho e a partir de quando está sob a sua gestão?

Pitty: O Tomás Agostinho nasceu em janeiro de 1991. Há exatamente 27 anos (quando iniciei minha vida profissional na escola), meu pai reiniciava um novo ciclo profissional. Ela saia do Colégio Santa Mônica e iniciava o Tomás Agostinho. O Colégio está sob a minha gestão desde abril de 2016.

 

Caderno W: Quando surgiu a necessidade da implantação de uma segunda unidade?

Pitty: Na verdade, a procura era muito grande, mas nossa unidade 1, não tinha um espaço independente como na nossa unidade do Mogilar. Consideramos a Educação Infantil a base para formarmos bons cidadãos e prepará-los para se tornarem pessoas de bem. E acredito que tudo tem a sua explicação definida por Deus. No final de outubro de 2016, tive a sorte e a oportunidade de ter um imóvel, também na Vila Oliveira. Fomos conhecer e tudo aconteceu da melhor forma possível. A cada ano estamos tendo um aumento no número de alunos. E os pais, extremamente satisfeitos.

 

 

Caderno W: Fale sobre cada uma das unidades:

Pitty: A Unidade 1 (Rua Sérgio Plaza, 558) atende os alunos do 6° Ano ao 3° Ano do Ensino Médio. Os alunos do EM têm aulas à tarde, toda segunda e quarta. Além disso, temos curso de Taekwondo, Teatro, Educação Financeira e as aulas de Orientação de Estudos para os alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem. Já a Unidade 2 (Rua Emílio Zapile, 300) atende os alunos do Maternal (a partir dos 3 anos) ao 5° Ano. Os alunos têm o Período Integral, no contra turno, com atividades de esporte, culinária, Taekwondo Maninho, artesanato e aulas de circo. Incluso a essas atividades, o almoço e o lanche, que estão inclusos na mensalidade. Além disso, temos as aulas de Orientação de Estudos para os alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem. Este ano, começamos as aulas de balé e jazz com a Escola de Bailados Marcela Campos, num espaço que fizemos especialmente para a realização dessas atividades.

 

Caderno W: Qual é a proposta pedagógica da escola e o que planejam para 2019?

Pitty: A proposta pedagógica do Colégio Tomás Agostinho continua sendo a de formar bons cidadãos, que pensam, que acreditam num futuro melhor, num País de oportunidades. Desde 2017, após analisarmos muitos sistemas de ensino, encontramos o Sistema de Ensino Poliedro, que vai exatamente ao encontro do que acreditamos. Quando falamos em sistema de ensino, as pessoas pensam em apostilas prontas, engessadas. É importante informar aos pais e alunos que o Poliedro utiliza livros didáticos e um Portal de acesso aos alunos, pais e professores. Quanto às novidades, temos boas novas e uma que vai ser um diferencial e tanto aos pais e alunos. Assim que estivermos com tudo fechado e concluído, o Caderno W será o primeiro a saber.

 

Caderno W: Qual é o diferencial da escola em relação às outras escolas da Cidade?

Pitty: Formar cidadãos desde a Educação Infantil, contando com uma equipe completa e comprometida com cada fase do desenvolvimento de nossos alunos. O trabalho só pode ser bem sucedido se tivermos o apoio incondicional dos pais. Utilizamos o Sistema de Ensino Poliedro que prepara o jovem para as melhores universidades. Desenvolvemos aulas de Educação Financeira. Acreditamos na importância de boas referências. Nossa maior realização é ver a formação de grandes amizades e mentes brilhantes. Acredito que sejam esses alguns de nossos diferenciais.

 

Caderno W: Quais são os projetos a serem realizados ainda neste ano?

Pitty: Temos projetos que envolvem todos os alunos e séries. Para este ano, teremos o Projeto Horta, que envolverá os alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental II, o Projeto Arte e Cultura do Poliedro (EFII), Cartas pelo Brasil (Ensino Fundamental I), Fazendo sua história (alunos do 4° ano do EFI), Brincoteca (Educação Infantil), Sarau (Educação Infantil e EFI), 2° Acampadentro (Educação Infantil e EFI) e Feira do Conhecimento.

 

Caderno W: Como avalia a Educação nos últimos anos?

Pitty: Infelizmente, vivemos uma total inversão de valores e a educação entra neste contexto. Acredito que um dos caminhos para melhorarmos nosso País, é por meio da educação. Escolas, população e poderes com um único objetivo. Concordo com o Mario Sergio Cortella, quando diz que o papel da escola, é de “escolarizar”, e o dos pais é de educar. Nós, enquanto Instituição de Ensino, podemos colaborar, corrigindo e orientando.

 

Caderno W: O que precisa ser melhorado ou aperfeiçoado no ensino no Brasil de uma maneira geral?

Pitty: Acredito que tudo precisa e necessita ser revisto. Enquanto o País enfrenta dificuldades e desordem, não temos muitas expectativas. Nós, enquanto escola privada, ainda temos uma autonomia, apesar de termos de cumprir regras e normas comuns também à rede estadual. Os valores e princípios estão invertidos, mas temos de nos esforçar para encontrarmos a luz no fim do túnel.

 

 

Caderno W: Como é o seu dia a dia profissional? Como concilia com a pessoal?

Pitty: Trabalho de segunda a sexta, das 7h30 às 19h30. Me programo com consultas, atividades e compromissos, dentro do horário de trabalho, mas sem deixar de cumprir as minhas responsabilidades.

 

Caderno W: Como se mantém atualizado?

Pitty: Procuro ler, assistir documentários, séries, jornais e revistas, sempre que possível.

 

 

Pitty por Pitty

 

“Uma pessoa que ama o que faz, que aprende a cada dia a se tornar um pouco melhor, que erra, que acerta, que quer um futuro melhor para os filhos e para este País. Amigo, leal e que chora quando é preciso”

 

Quem é o Pitty?

Um pedagogo que aprende todos os dias e acredita no que faz.

 

O que gosta de fazer nas horas de folga?

Estar com a minha família e com meus amigos e também cozinhar (um hobby).

 

Tem algum livro de cabeceira (qual)?

Sim, alguns. O “Evangelho Segundo o Espiritismo”, de onde tiramos lições e exemplos para nossa vida. Acabando de ler a biografia do fundador da Embraer, Ozires Silva. E um livro que me mostrou valores inestimáveis a coisas extremamente simples, o livro “Uma vida sem limites”, de Nick Vujicic.

 

Algum sonho por realizar?

Deixar um Brasil bem melhor para meus filhos e netos. E viajar pelo mundo, conhecendo culturas, a educação e a culinária de países que gosto e me identifico.

 

Um lugar de Mogi das Cruzes:

Parque Centenário

 

Uma frase:

Tenho preferido ter paz, do que ter razão.