Após tantos dias com manhãs ensolaradas, a terça amanhece chuvosa, bucólica, eu diria, e como o tempo é louco pode ser até que o sol apareça mais tarde…rs… O sol tem a energia que nos coloca pra cima, para fora, e nos anima a seguir em frente com mais bom humor. Eu pelo menos me comporto desta maneira…rs… A chuva do tipo intermitente como a que cai aqui na Shalom, é boa para permanecer em casa e no meu caso combina com o trabalho que realizo. E com a maior satisfação alinhavo boas notícias.  Todas as manhãs costumo deitar na rede com o celular em mãos para fazer uma coisa que gosto muito, compartilhar no Instagram, frases e pensamentos positivos que garimpo nas Redes Sociais, no sentido de acrescentar bem estar a vida dos web leitores, e, simultaneamente os compartilho em minha página pessoal no Facebook. E repercutem.

Uma observação pertinente, que constato em minha página no Face, as mulheres, de todas as idades, são as que mais estão conectadas com o mundo virtual, cerca de 70%. Isso quer dizer que os homens, principalmente os mais velhos, são poucos visíveis. Só mesmo os mais descolados. E idade não é empecilho para se manter atualizado. O papel está acabando.  Eu que o diga. Tudo começou em 1996, em New York, o ano em que comemorei os meus 21 de colunismo social com um grupo seleto de amigos no restaurante The View, quando adquiri o meu primeiro laptop, um Sonny Hitachi. Empolguei-me pela mídia digital que estava apenas começando, e dois anos depois criei uma homepage para o meu programa de rádio na Rádio Diário, e, na sequencia, sempre de olho no futuro, lancei em 2000, na Feijoada do Willy o site willyvirtual, o embrião do Caderno W.

Como se pode perceber são muitos e muitos anos de trabalho, de lutas, e os resultados tem sido positivos. Adorei o que Lady Gaga, de quem sou fã, disse na entrega do Oscar 2019: “ Se você está em casa, no seu sofá, assistindo a isso, tudo o que eu tenho a dizer é que esse é um trabalho duro. Eu trabalhei duro por muito tempo para chegar até aqui. Não é sobre ganhar, é sobre não desistir. Se você tem um sonho, lute por ele. Existe uma disciplina. Não é sobre quantas vezes você foi rejeitado, caiu e teve que levantar. É quantas vezes você fica em pé, levanta a cabeça e segue em frente”. Lindo.  Estou nessa sintonia há muito tempo. E voltando à festa em New York, em outubro de 1996, que ganhou esquenta no apartamento da amiga, Eugênia Fleury, compartilho as duas páginas do livro W Crônica de um tempo que foram recheadas com fotos dessa memorável comemoração. Recordar é viver.