O Ford Ka Hatch registrou em 2019 o melhor resultado de vendas desde o lançamento da nova geração e consolidou sua posição como vice-líder do mercado brasileiro. As 104.339 unidades emplacadas representam o maior volume do modelo desde a introdução da atual plataforma global, que mudou o padrão no segmento de carros de entrada.

“Mesmo com os sucessivos lançamentos no segmento mais disputado do mercado, hoje com cerca de 20 competidores, o Ka continua a se destacar com um conjunto de atributos moderno e diferenciado, afinado com o gosto dos consumidores brasileiros”, diz Antonio Baltar Filho, diretor de Vendas da Ford. “Por isso, ele é e continuará sendo um produto importante para a Ford no mercado brasileiro.”

O hatch da Ford tem uma trajetória única dentro da indústria, que evoluiu com diferentes conceitos ao longo de suas três gerações e soma cerca de 1,25 milhão de unidades produzidas no Brasil, sendo 600 mil da atual plataforma global. O Ka de primeira geração, criado na Europa, foi o primeiro subcompacto no Brasil, onde chegou em 1997. Inicialmente equipado com os motores Endura-E 1.0, de 51 cv, e 1.3, de 60 cv, em 2000 adotou os propulsores da família Zetec RoCam. Em 2002 o hatch passou por uma reestilização traseira, feita exclusivamente para atender o gosto dos consumidores brasileiros.

Na segunda geração, lançada em 2008, o Ka cresceu e tornou-se um veículo compacto, com carroceria para cinco passageiros, mantendo a configuração de três portas. Equipado com os motores RoCam Flex 1.0 e 1.6, trouxe para o segmento de entrada novidades como alarme volumétrico, controle remoto das portas e do porta-malas e travamento automático das portas a 15 km/h. Na linha 2012, passou por uma leve reestilização na grade dianteira e na lanterna traseira.

Campeão de satisfação

A terceira geração, desenvolvida no Brasil, chegou em 2014 com um novo projeto global. Produzido no complexo da Ford em Camaçari, na Bahia, com carroceria de quatro portas e espaço maior para cinco passageiros, o modelo inovou também na tecnologia, na oferta de equipamentos e nos motores. Além do 1.0 TiVCT de três cilindros, com 85 cv, também produzido na Bahia, passou a oferecer o Sigma 1.5 de 110 cv.

Entre outros itens, o Ka foi o primeiro da categoria a vir de série com direção elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas com controle remoto e som com comandos de voz e Bluetooth. E inovou também nos opcionais, com a oferta de controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e sistema de conectividade SYNC com assistência de emergência e sistema AppLink para aplicativos de celular.

Na linha 2019, o Ka passou a oferecer carroceria com novo design e reforços estruturais, motor 1.5 TiVCT Flex de três cilindros com 136 cv e transmissão automática, além de equipamentos como central multimídia SYNC com tela flutuante, botão de partida, câmera de ré e sensor de estacionamento. Trouxe ainda a versão aventureira FreeStyle, com altura elevada do solo, suspensão reforçada e outras características de utilitários esportivos, incluindo itens de estilo exclusivos.

Outra razão do sucesso do Ka é o baixo custo de posse, que inclui desde o desempenho econômico dos motores e preço das revisões, peças e seguro até o valor de revenda. Não por acaso, entre outros prêmios, o Ka foi eleito recentemente o campeão de satisfação pelos proprietários de hatches de entrada, destacando-se principalmente nos quesitos de design, espaço interno, rapidez de arranque e preço de revenda.